Anúncio da Gap é vandalizado com mensagem preconceituosa e a empresa sai em defesa do modelo

O ator e designer de joias Waris Ahluwalia é seguidor do sikhismo, uma religião monoteísta mais comum na Índia e com mais de 20 milhões de adeptos no mundo

Redação Publicado em 28/11/2013, às 17h24 - Atualizado às 18h16

Gap
Reprodução

A campanha de fim de ano da GAP, com uma mensagem de amor, sofreu vandalismo em um metrô de Nova York. Aliás, foi ainda mais grave. O ator e designer de joias Waris Ahluwalia serve de modelo para o anúncio em questão (veja ao lado). A frase “make love” (“faça amor”) foi alterada para “make bombs”, provavelmente uma ofensa ignorante destinada a muçulmanos, o que já seria absurdo. No mais, Ahluwalia é, na verdade, seguidor do sikhismo, uma religião monoteísta mais comum na Índia e com mais de 20 milhões de adeptos no mundo. Para completar, embaixo aparece escrito “pare de dirigir taxis”, uma referência ao fato de que muitos estrangeiros trabalham como taxistas em Nova York.

A foto foi clicada por Robert Gerhardt e conta ainda com a diretora e ilustradora Quentin Jones, que posa ao lado de Ahluwalia.

O mais curioso é que depois que a notícia chegou até os funcionários da Gap, que se manifestaram no Twitter a respeito. Não só colocaram a imagem da propaganda como capa na rede social, como postaram uma mensagem de repúdio ao ocorrido. O seguinte comunicado foi divulgado.

“A Gap é uma marca que celebra a inclusão e a diversidade. Nossos clientes e funcionários são de muitas fés, estilos de vida e etnias e nós apoiamos todas elas”.

Quando a campanha estreou, a comunidade Sikh se mobilizou em massa para elogiar a atitude da grife de expandir o padrão dos modelos usados em campanhas de moda.