Reunimos todas as músicas de Will Butler baseadas em manchetes de jornal

Redação Publicado em 03/03/2015, às 15h10 - Atualizado às 16h51

Galeria - Will Butler - Policy
Divulgação

Inspirada pela nova política econômica da Grécia, "Clean Monday" foi composta a partir de um artigo que relatava como o novo governo grego pretende pagar a dívida pública. Em uma passagem do texto, explicava-se que o comércio das cidades locais não abrem em um dia chamado - em tradução livre - "Clean Monday", que marca o primeiro dia na quaresma. A data é semelhante ao feriado da quarta-feira de cinzas.
"Waving Flag", na verdade, foi inspirada em dois artigos publicados pelo The Guardian. Um deles conta a história de um ativista anti-apartheid, chamado Moses Kotane, que nunca voltou à África do Sul, mesmo após o fim do regime. O outro artigo relata a celebração de um feriado soviético por separatistas ucranianos. O nome "Waving Flag", segundo Butler, surgiu da necessidade atual em se discutir o nacionalismo.

Batizada como “You Must Be Kidding”, a canção é inspirada em um texto da jornalista Claire Rigby com o título “São Paulo – Anatomy of a Failing Megacity: Residents Struggle as Water Taps Run Dry” (em tradução livre, “São Paulo - Anatomia de uma Megacidade em Colapso: Moradores Sofrem com a Seca nas Torneiras"). A reportagem aborda a realidade de edifícios e condomínios em São Paulo que convivem com o racionamento de água

Além da faixa, o site do The Guardian publicou um depoimento de Butler sobre os dias que ele passou em São Paulo antes da apresentação do Arcade Fire no Lollapalooza 2014: “Durante a última turnê do Arcade Fire, fiquei alguns dias em São Paulo. Foi a primeira vez em que tive tempo livre para conhecer a cidade e fiquei muito animado com essa possibilidade. Amigos músicos nos levaram para passear e notei que há uma energia louca em São Paulo. Como na maioria das cidades de que gosto, há também uma valiosa mistura cultural. Foi exaustivo conhecer tudo, mas, ao mesmo tempo, agradabilíssimo. Quero voltar em breve”.


Na quinta-feira, 26, Will Butler pensou em escrever algo sobre o Brit Awards. A boa intenção criativa da canção até foi "presenteada" com o tombo de Madonna, mas a descoberta de um buraco negro cerca de 12 bilhões de vezes maior do que o sol fez com que o compositor deixasse a Rainha do Pop de lado na letra da faixa.

Em depoimento ao The Guardian Butler se explicou: "Tinha todas as intenções de escrever sobre o Brit Awards. Foi um grande evento, certamente o The Guardian iria cobrir... Talvez fosse burlar um pouco as regras, preparando alguns versos na véspera. Mas eles encontraram um buraco negro tão velho quando o universo, é uma questão de prioridade". Por isso, o músico optou por cantar que "nem Madonna pode nos salvar" no caso de a Terra ser engolida por esse buraco negro.


A última canção de Will Butler baseada nas manchetes do The Guardian foi sobre a depredação realizada por militantes do Estado Islâmico em um museu em Mosul, no Iraque, que guardava relíquias do império babilônico.

Ao falar sobre as ações dos jihadistas, Butler afirmou: "Essa música não é uma prescrição política. Mas as emoções por trás das palavras são antigas e reais".