Cinco clipes para aquecer para os shows do Faith No More no Brasil

Redação Publicado em 12/09/2015, às 20h15 - Atualizado às 20h16

Galeria FNM - abre
reprodução/Facebook

“Epic”



O clipe da música mais popular do FNM foi dirigido por Ralph Ziman e misturou imagens surreais à cenas da banda no palco e sob uma chuva artificial. O clipe de 1990 gerou alguma polêmica por causa da imagem do peixe morrendo for a d’água. E a história gerou ainda mais comentários depois que foi descoberto que o peixe tinha pertencido anteriormente à cantora Björk, de quem a banda ganhou/roubou o animal (o caso todo nunca ficou bem explicado).



Outra coisa em que se reparar é no guitarrista Jim Martin, amigo e fã do baixista do Metallica Cliff Burton, que usa uma camiseta em homenagem a ele.


“We Care a Lot”



A faixa de 1985 que tirou sarro da pose de “preocupação” dos astros do pop (envolvidos em eventos como o Live Aid, na época) virou o primeiro clipe produzido para uma música do FNM. A direção foi assinada por Bob Biggs & Jay Brown.


“Anne’s Song”



A importância da música está justamente no fato de ter sido um fracasso nas paradas. Depois disso o vocalista Chuck Mosley foi substituído por Mike Patton, que em duas semanas escreveu todas as letras do indicado ao Grammy The Real Thing (1989). E a banda deslanchou de vez.


“Easy”



Mike Patton e companhia gravaram essa versão da canção clássica do Commodores enquanto registrava o disco Angel Dust (1992), já que a faixa repercutia tão bem quando a banda a executava ao vivo. Essa foi a música do FNM que chegou mais alto nas paradas britânicas, alcançando a terceira posição.


“I Started a Joke”



Curiosamente, mais um cover, e mais uma vez um videoclipe com uma história curiosa. A música do Bee Gees fez um enorme sucesso na versão do Faith No More. A cover foi feita originalmente como um lado b para o single "Digging the Grave" (1995). Este vídeo foi rodado em setembro de 1998, cinco meses depois do fim da banda, por isso ele não conta com nenhum dos integrantes (embora alguns jurem que Mike Patton faz uma ponta logo no comecinho do clipe – o que você acha?). A direção é de Vito Rocco e, dentre os atores, estão o astro de Sherlock Martin Freeman e o artista performático David Hoyle (que é quem “canta”).