Cinco clipes para aquecer para os shows do System of a Down no Brasil

Redação Publicado em 13/09/2015, às 14h28 - Atualizado às 17h50

Galeria Soad - abre
John Shearer/AP

“Chop Suey!”



Provavelmente a canção mais conhecida da banda, a faixa de 2001 também garantiu ao Soad a primeira indicação ao Grammy (na categoria Melhor Performance de Metal). O clipe, a primeira colaboração do grupo com o diretor Marcos Siega, foi rodado no estacionamento de um motel de Los Angeles, cidade onde moram os integrantes, com a presença de cerca de mil fãs. Curiosamente, Serj Tankian aparece comendo o prato de origem chinesa que dá nome à faixa. Essa é a única referência (contanto clipe e letra) à comida. O vídeo usou uma técnica chamada SnorriCam para dar um dos efeitos das imagens, a impressão de que o fundo está se mexendo enquanto a pessoa está parada.


“BYOB”



Com direção de Jake Nava, o clipe de 2005 mostra um exército de soldados marchando pelas ruas e diversas mensagens de protesto. De tom pesado, o vídeo sofreu censura em vários canais.


“Toxicity”



Mais um trabalho assinado por Marcos Siega, desta vez em parceria com Shavo Odadjian, baixista do Soad, entre outras coisas. O clipe da faixa de 2002 começa na Calçada da fama de Hollywood e termina com um take da Via Láctea. Entre as duas cenas, imagens de moradores de rua misturadas à momentos da banda tocando reforçam a veia engajada e crítica de tudo que o System produz.


“Lonely Day”



A composição de Daron Malakian foi lançada em 2006 e indicada na premiação do Grammy que aconteceu no ano seguinte. O clipe tem uma curiosa referência à imagem de capa do disco do Pink Floyd Wish You Were Here (1975) aos 45 segundos.


“Hypnotize”



O clipe basicamente mostra cenas de shows da banda. O helicóptero que aparece logo no início do vídeo vai espalhando uma substância vermelha que, ao fim, forma a arte da capa do disco (de 2005, que leva o mesmo nome da música).