Dez artistas do novo country norte-americano que você precisa ouvir

Redação Publicado em 12/03/2017, às 12h13 - Atualizado às 12h13

Dez artistas da nova música country que você precisa ouvir
Divulgação

Maren Morris

Maren ganhou notoriedade na música country em 2016 ao emplacar Hero, um disco repleto de hinos pop, que traz referências que vão do duo Fleetwood Mac à contemporânea Taylor Swift.

Além de arrecadar quatro indicações ao Grammy (mais do que qualquer outro músico country na última premiação), entre eles os de Artista Revelação e Melhor Disco Country, o álbum marcou o debute da cantora dentro de uma grande gravadora, após dez anos divulgando o trabalho dela de maneira independente.


Kelsea Ballerini

A cantora de apenas 23 anos foi indicada ao Grammy de Artista Revelação, concorrendo com Chance the Rapper, Anderson .Paak, The Chainsmokers e Maren Morris. Ativa como intérprete desde 2013, Kelsea lançou, até agora, somente o disco The First Time (2015), que saiu pelo selo Black River.

Em 21 de março de 2016, a norte-americana de ascendência italiana divulgou o single “Peter Pan”, que chegou ao primeiro lugar nas paradas musicais country dos Estados Unidos.


Jack Grelle

O salão de dança não é exatamente o lugar mais adequado para um discurso progressista e politizado. No entanto, Jack Grelle está desafiando essa noção com letras políticas e canções dançantes. Influenciado pela cena DIY de St. Louis, nos Estados Unidos, o cantor e compositor saiu em turnê com a mais recente encarnação do Lavender Country, primeira banda de música country abertamente homossexual.


Father John Misty

Antes de encarnar a irônica persona Father John Misty, o cantor e compositor Joshua Tillman gravava discos de baixo orçamento em Seattle sob a alcunha J. Tillman. Posteriormente, ele se juntaria ao Fleet Foxes como baterista, permanecendo no grupo de 2008 a 2012.

Embora traga um leque diversificado de influências no repertório (que vão de Elton John a Arcade Fire), o músico não esconde a raiz que traz na música country. O músico lançou, em 2015, o disco I Love You Honeybear, e desde o começo do ano vem antecipando, com singles, o próximo trabalho da carreira, Pure Comedy.


Sturgill Simpson

Com três LPs na discografia, Sturgill Simpson conseguiu emplacar o mais recente, A Sailor's Guide to Earth (2016), no primeiro lugar das paradas norte-americanas de música country. Não à toa, o trabalho que deu sequência a Metamodern Sounds in Country Music (2014) e High Top Mountain (2013) foi indicado ao Grammy de Melhor Álbum do Ano. O terceiro disco da carreira de Simpson conta ainda com uma inusitada cover de “In Bloom”, hit do Nirvana lançado no emblemático Nevermind (1991).


Kevin Morby

O disco Singing Saw, de Kevin Morby, foi uma das principais revelações do alt country e do indie folk de 2016. Depois de tocar nas bandas Woods e The Babies, o cantor e compositor enveredou pela carreira solo, lançando três álbuns, entre eles Still Life (2014) e Harlem River (2013).

Reconhecido pelo estilo despojado de tocar e pelas letras irônicas, o estilo de Morby é o encontro entre o country clássico do Everly Brothers com as guitarras erráticas do Pavement.


Jaime Wyatt

Depois do primeiro contrato com uma gravadora, aos 17 anos, Jaime Wyatt tornou-se dependente química. O vício fez com que a cantora californiana roubasse o próprio selo que a contratou. Por causa disso, Jaime ficou encarcerada por oito meses em uma prisão municipal. No entanto, ela nunca deixou de escrever.

O mais recente disco dela, Felony Blues, oferece uma visão espirituosa sobre o tempo que ela passou na prisão.


Jenny Gill

Jenny Gill tem a genética a favor dela. Filha do lendário músico country Vince Gill e da cantora Janis Oliver (da dupla Sweethearts of the Rodeo), ela vem buscando aprimorar o próprio estilo. Mesmo quando saiu em turnê com a madrasta, Amy Grant, Jenny focou em aperfeiçoar o repertório autoral.

Ela lançou recentemente o primeiro EP da carreira. Intitulado The House Sessions, o trabalho mistura gêneros musicais variados, como Americana, jazz, pop e blues.


Mike Ryan

Bad Reputation, o mais recente disco de Mike Ryan, fez com que o cantor de voz tranquila e cadenciada emplacasse três singles nas paradas texanas de música. Ryan já colaborou com gente como Brandy Clark, Chris DuBois e Brent Anderson.

Ele menciona o avô, que dirigiu a Texas National Guard Band por mais de três décadas, como uma das principais influências da carreira. “Meu avô foi a minha primeira inspiração musical, embora eu não tenha aprendido com ele como tocar tanto quanto aprendi o porquê tocar. O amor dele pela música era contagioso”, disse à Rolling Stone EUA.


Curtis McMurtry

O texano de 26 anos é outro da lista que tem laços hereditários enraizados na música country. Filho do cantor e compositor James McMurtry, Curtis teve ainda como mentor o músico Guy Clark, morto em 17 de maio de 2016. Outra influência para as canções do mais recente álbum dele, The Hornet’s Nest, foi o avô, Larry McMurtry, que é escritor e roteirista.