Iggy Pop – Dez Canções

Redação Publicado em 21/04/2017, às 16h37 - Atualizado às 18h42

Ao longo de quase cinco décadas de carreira, Iggy Pop foi responsável por inúmeras canções que se transformaram em clássicos do rock. Selecionamos aqui dez grandes momentos da ilustre trajetória do padrinho do punk.
 
Por Paulo Cavalcanti
Fabricio Vianna

“I Wanna be Your Dog”

Dentre todas as grandes canções lançadas pelos Stooges (“No Fun”, “Search and Destroy”, “1969”), talvez “I Wanna be Your Dog” talvez seja a que mais defina a essência do jovem Iggy Pop, na época em que ele era considerado um dos mais tresloucados ídolos do rock. A faixa lançada em The Stooges (1969) tem um minimalismo sonoro impactante e, na letra, Iggy se esbalda na submissão sexual.


"Kill City"

Os Stooges acabaram em 1974, mas Iggy e o guitarrista James Williamson fizeram algumas gravações juntos no ano seguinte. O material seguiu arquivado até que o selo de Los Angeles Bomp Records resolveu lançar o material em Kill City, em 1977. A faixa que dá nome ao trabalho é uma das muitas pérolas escondidas da carreira de Iggy, com o cantor ostentando um poderoso vocal e Williamson se destacando em um riff matador.


"Lust for Life"

O álbum Lust for Life (1977) marcou o retorno de Iggy Pop depois de ele ter passado alguns anos se recuperando do vício de heroína. O trabalho foi produzido pelo amigo e fã David Bowie. Dentre os destaques estava a contagiante faixa-título, que Iggy escreveu com Bowie. Depois de alguns anos no buraco, Iggy celebrava a paixão pela vida. A canção ganhou uma nova existência em 1987, quando entrou para a trilha do cultuado filme Trainspotting (1997).


The Passenger



Parte do clássico álbum Lust for Life (1977), “The Passenger” tem uma batida retrô rockabilly e um refrão cheio de “la, la, las”. Na canção, Iggy se coloca no lugar de um passageiro, sempre observando tudo o que acontece em volta. O cantor falou que se inspirou para escrevê-la depois que saiu em turnê com David Bowie pelos Estados Unidos e Europa. Até hoje essa é uma das marcas registradas da carreira de Iggy.


“China Girl”

Também produzido por David Bowie, The Idiot (1977) marcou um dos grandes momentos da carreia solo de Iggy Pop. Um das principais faixas era “China Girl”, ode a uma garota oriental. A musa inspiradora seria Kuelan Nguyen, uma vietnamita pela qual Iggy teria se apaixonado. Mas alguns também acharam que “China Girl” é uma canção sobre drogas. O próprio Bowie gravou a faixa em 1983, no álbum Let’s Dance, e conseguiu muito êxito com seu registro.


“I Need More”

Esta faixa do álbum Soldier (1980) é uma colaboração de Iggy com o baixista Glen Matlock, o homem responsável pela parte musical do Sex Pistols. Apesar de o trabalho no geral soar um tanto irregular, "I Need More” se destacou. É um ameaçador rock de tempo mediano, no qual Iggy berra que quer um pouco mais de tudo.


"Bang Bang"

Em certo momento da carreira, Iggy quis virar um artista pop. Para ajudar no álbum Party (1981), ele convocou Tommy Boyce, produtor do The Monkees, banda de grande sucesso dos anos 1960. "Bang Bang", escrita por Iggy junto ao guitarrista Ivan Kral, foi um dos pontos altos do disco, uma faixa com jeito new wave, boa para agitar qualquer festa.


"Repo Man"

Lançado em 1984, o filme Repo Man - A Onda Punk logo se tornou cultuado. Fã de Iggy, o diretor inglês Alex Cox foi visitá-lo e resolveu ajudar o cantor, que na época estava enfrentando problemas financeiros e sem muito direcionamento musical. Assim, Cox pediu que Iggy gravasse a faixa-título do longa. "Repo Man", a canção, é um dos grandes momentos de Iggy na década de 1980. Ele fala da vida decadente e perigosa de Los Angeles e o acompanhamento sonoro é classe A: Iggy contou com o guitarrista Steve Jones (Sex Pistols) e vários integrantes da banda Blondie.


“Candy”

Esta faixa, parte de Brick by Brick (1990), é um dueto com Kate Pierson, da banda new wave B-52s. A canção se tornou um hit na parada norte-americana. No Brasil, é uma das mais conhecidas canções de Iggy, sempre aparecendo na playlist de rádios de classic rock. "Candy" é sem dúvida uma das músicas mais comerciais e acessíveis de toda a carreira Iggy.


“Real Wild Child (Wild One)”

Faixa pop com uma batida techno e um refrão de fácil assimilação, “Real Wild Child (Wild One)” foi outra canção que colocou Iggy Pop nas rádios. Ela saiu no álbum Blah-Blah-Blah (1986) e foi incluída na trilha sonora dos filmes Uma Linda Mulher e O Pestinha. Isso também contribuiu para que ela se tornasse popular.