Dez grandes videoclipes de rock

Redação Publicado em 13/07/2012, às 17h14 - Atualizado às 17h17

Dez grandes videoclipes de rock
Reprodução/Vídeo


AC/DC - You Shook Me All Night Longpor hushhush11210 – "You Shook Me All Night Long" - AC/DC


Direção: David Mallet

Essa lista não seria a mesma sem um videoclipe de metal. Esse pode não ser o mais elaborado deles, mas com certeza é o mais divertido. Realizado seis anos após o lançamento da canção no álbum Back in Black, de 1980, ele intercala imagens coloridas da banda australiana em ação no palco com outras em preto e branco dos rapazes caminhando pelas ruas de uma cidade. Enquanto isso, Angus Young se prepara para ir ao encontro da fogosa top model britânica Corinne Russell. Uma cena que provocou bastante polêmica foi a dela, ao lado de outras garotas, pedalando bicicletas em cima do palco, com possíveis conotações sexuais.


9 – "Coffee & TV" - Blur

Direção: Hammer & Tones (1999)

Um dos mais cativantes videoclipes da história, ele mostra a história de uma caixinha de leite, Milky, que parte em busca do guitarrista da banda de britpop, Graham Coxon, até localizá-lo num ensaio e voltar para casa. No meio do caminho, ele corre diversos perigos, encontra monstros (restos de lixo) e se apaixona, até sua amada ser pisoteada. Realizado para divulgar o sexto álbum do Blur, 13, ele foi premiado como melhor videoclipe pelo MTV Europe Music Awards e pela publicação britânica New Musical Express, principalmente graças ao trabalho do diretor Garth Jennings e do produtor Nick Goldsmith (que formam o Hammer & Tongs), e dos criadores das tais caixinhas de leite, Jim Henson’s Creature Shop.


8 – "I Wanna Be Sedated" – Ramones

Direção: Bill Fishman (1988)

Esse videoclipe foi realizado dez anos depois da canção ser originalmente lançada no álbum Road to Ruin, de 1978, para divulgar a coletânea Ramones Mania. Bastante simples, a produção mostra os quatro roqueiros sentados ao redor de uma mesa, comendo sucrilhos e praticamente imóveis. Eles começam no escuro, até que alguém acende a lâmpada e, a partir de então, em imagem acelerada, diferentes tipos passam atrás e na frente deles, incluindo estudantes, cheerleaders, bailarinas, palhaços, monstros, doutores e freiras. Vale a pena tentar encontrar a então bastante jovem Courtney Love.


7 – The Scientist – Coldplay

Direção: Jamie Thraves (2002)

A técnica da narrativa ao contrário já havia sido utilizada em outros videoclipes, mas até então não provocara tanto impacto como nessa produção para a banda britânica. O vocalista Chris Martin começa deitado num colchão, do qual se levanta e passa por diferentes ambientes até voltar para o interior de um carro. Então, o espectador descobre o desfecho trágico da narrativa. A canção faz parte do álbum A Rush of Blood to the Head e a produção foi bastante premiada no MTV Video Music Awards. Também foi indicada ao Grammy e perdeu para “Hurt”, estrelado por Johnny Cash.


6 - "Free as a Bird" - Beatles

Direção: Joe Pytka (1997)

Nunca John, Paul, George e Ringo poderiam ficar de fora dessa lista. Há quem os considere criadores dos videoclipes, graças aos filmes estrelados por eles e dirigidos por Richard Lester, e por promos como “Penny Lane” e “Strawberry Fields Forever”. Porém, essa produção chama atenção por ter sido realizada para divulgar uma canção até então inédita lançada no projeto Anthology, utilizando centenas de referências à história dos Beatles. Claro que os beatlemaníacos não perderam a chance de identificar todas elas segundo a segundo, o que pode ser conferido neste site. A música foi premiada com o Grammy e entrou para o top 10 nos Estados Unidos.


5 – "Losing My Religion" - REM


Direção: Tarsem Singh (1991)


Lançada no álbum Out of Time, de 1991, “Losing My Religion” ganhou um dos melhores videoclipes da história, ao unir ideias do diretor com as do vocalista Michael Stipe, que ficara impactado com a produção “Nothing Compares 2 U”, da cantora irlandesa Sinéad O’Connor. Os três músicos aparecem no interior de um casebre vazio, com a presença de ruídos no início, movimentos da câmera acompanhando a batida da canção e vários recursos de iluminação. Há muitas referências aos pintores italianos Caravaggio e Michelangelo, e ao cineasta russo Andrei Tarkovsky. Foi proibido em alguns países, mas venceu seis das nove categorias às quais foi indicado no MTV Video Music Awards.


4 – Heart-Shaped Box - Nirvana

Direção: Anton Corbijn (1993)

O diretor holandês Anton Corbijn é um dos mais importantes nomes da história do videoclipe. Esse trabalho para a canção lançada no terceiro álbum do grupo grunge, In Utero, de 1993, é o melhor clipe feito por ele. A produção começa e termina com a banda vendo um senhor recebendo medicações em um hospital. Ele, então, surge apenas de cuecão e gorro de Papai Noel, caminhando em uma área seca e voltando a ficar crucificado, com a companhia de urubus. Em seguida, surgem outras referências religiosas, e também à Ku Klux Klan. Há quem garanta haver ali uma homenagem ao filme O Mágico de Oz, dirigido por Victor Fleming, em 1939. Venceu dois MTV Video Music Awards em 1994, como melhor vídeo alternativo e melhor direção de arte.


3 – "Like a Rolling Stone" - Rolling Stones

Direção: Michel Gondry (1995)

Escolhemos o trabalho dos Rolling Stones, imprescindíveis nessa lista, com o mais aclamado diretor de videoclipes de todos os tempos, o francês Michel Gondry. Aqui ele utiliza técnicas que depois repetiria em filmes como Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (2004) e Sonhando Acordado (2006). Esse é o caso das imagens congeladas e das que parecem ser esticadas de acordo com os movimentos dos músicos e da atriz norte-americana Patricia Arquette. Ela aparece em duas situações – como socialite envolvida em festas e badalações, com a presença dos músicos britânicos, e como uma garota simples, que vaga pelas ruas e pelas estações de metrô.


2 – Closer – Nine Inch Nails

Direção: Mark Romanek (1994)

Poucas vezes um videoclipe foi tão aclamado e, ao mesmo tempo, provocou tantas controvérsias quanto “Closer”, realizado pelo diretor norte-americano Mark Romanek para a música da banda Nine Inch Nails, lançada no álbum The Downward Spiral, de 1994. Para os mais sensíveis, talvez não seja nada fácil mesmo acompanhar os quase cinco minutos que mostram, num laboratório no estilo do século XIX, várias referências à religião, sexualidade, terrorismo, política e crueldade com animais. Em 2006, ele foi eleito o melhor videoclipe de todos os tempos pela emissora de televisão VH1. Também faz parte da coleção permanente do Museu de Arte Moderna (MoMA), em Nova York, nos Estados Unidos.


1 – Bohemian Rhapsody - Queen

Direção: Bruce Gowers (1975)

Certamente, o impacto de “Bohemian Rhapsody” não é mais o mesmo de quando foi lançado, mas permanece extremamente atraente e, por isso, ocupa a primeira posição nessa lista. Em função do acabamento, do modo de financiamento e do suporte, esse é considerado por muitos pesquisadores, como E. Ann Kaplan e Andrew Goodwin, o primeiro da história. Com cinco minutos de duração e orçamento de US$ 3500, ele foi gravado durante cerca de três horas no estúdio de ensaios da banda e em um caminhão de externas, com a direção do inglês Bruce Gowers, auxiliado por Freddie Mercury. As cenas de multiplicação da cabeça dos músicos, em uma clara referência à capa do álbum A Night at Opera, é deslumbrante.