Dez melhores momentos de Carrie Fisher em Star Wars

Desde “Ajude-me, Obi-Wan Kenobi” até seu comovente adeus, relembre as cenas mais icônicas da Princesa Leia

Rolling Stone EUA Publicado em 28/12/2016, às 15h00 - Atualizado às 16h57

Abre - Melhores momentos Princesa Leia
AP

“Este é o nosso momento mais desesperador.” Se você tiver que resumir o estado de espírito do momento, não precisa procurar algo além das palavras da própria Princesa Leia. Na sua atuação mais famosa – na qual ela seria a cola que manteria juntos os primeiros três filmes da saga de Star Wars, e depois voltaria ao papel de forma arrebatadora e aclamada em O Despertar da Força – Carrie Fisher encarnou a esperança em frente a obstáculos aparentemente intransponíveis. Seja atuando de forma calma e solene nos momentos de realeza de Leia, distribuindo insultos e atirando em stormstroopers como uma líder rebelde ou transformando em palavras as lutas na vida real contra o vício e transtornos mentais na escrita destemidamente engraçada, Fisher era uma das grandes heroínas do cinema, dentro e fora da tela. Os dez momentos a seguir são um tributo à maior criação desta grande mulher. Nós a amávamos; ela soube.


R1ANH from GG Exe on Vimeo.

10. - “Esperança” (Rogue One: Uma História Star Wars)



ALERTA DE SPOILER: O poder de Carrie Fisher é tamanho que ela consegue causar um impacto sem mesmo aparecer na tela de verdade. A última fala no spin-off Rogue One: Uma História Star Wars (2016) vem de uma reconstrução digital da jovem Princesa Leia – uma única palavra que ressalta a importância da luta rebelde. Ao contrário do uso constante de CGI no restante do filme, esta simulação de Leia fica na tela por apenas alguns segundos. Mas é tempo o suficiente. É como se os espectadores tivessem sido catapultados para uma galáxia muito, muito distante e há bastante tempo, quando a esperança era ilimitada.


9 - O reencontro (O Despertar da Força)



Sem abraço. Sem beijo. Sem “tudo está perdoado”. Se você queria grandes gestos de paixão reacendida, o reencontro de Han Solo e Leia Organa após décadas nas vidas dos personagens (e 32 anos no mundo real) poderia ser lido como anticlimático. Mas o que nós vimos foi melhor. Carrie fez o reencontro da General Leia com o amor da vida dela ser dolorosamente real. Quando eles finalmente se abraçam no filme e Solo parte para o que acaba sendo uma missão de matar ou morrer, a atriz traz uma tristeza ao momento que reflete a natureza do relacionamento.


8 - Ewoks: o primeiro contato (O Retorno de Jedi)



Se a saga de Star Wars é a realização de todos os desejos da infância, como disseram as críticas, então as pessoas devem ter desejado estar cercadas de adoráveis máquinas de matar. Leia é a primeira a entrar em contato com os Ewoks, aqueles bichos de pelúcia guerreiros que ajudam a derrubar o Império no último episódio da primeira trilogia. Carrie interpreta a interação da personagem com os novos amigos peludos de forma direta e sincera, mesmo quando Wicket W. Warwick e os outros acabam agindo da forma mais abobalhada possível. Ela sabia que era o trabalho dela vender ao público aqueles carinhas brincalhões – e assim o fez, de maneira profissional.


7 - Assassinando o Jabba (O Retorno de Jedi)



Sim, o biquíni dourado de metal geralmente é o assunto principal quando se fala sobre esta cena, mas a ação fala mais alto do que o traje compulsório. Aqui, o golpe de misericórdia de Leia foi agarrar as correntes que a mantinham presa e estrangular a lesma gigante que a escravizou. “Este caçador de recompensas é do meu tipo: destemido e engenhoso”, Jabba disse quando Leia invadiu o palácio dele disfarçada de mercenária. Ele nem imaginava o que estava por vir.


6 - O beijo (O Império Contra-Ataca)



No começo da primeira das muitas sequências de Star Wars, a Princesa Leia é uma mulher em negação. Seja gritando insultos intergaláticos ou beijando o próprio irmão (nem George Lucas sabia na época, então não podemos culpá-la), a líder rebelde se esforçou para demonstrar desinteresse em Han Solo. É só quando os dois ficaram sozinhos em uma Millennium Falcon desativada que ela cede a seus sentimentos pelo contrabandista. Carrie inteligentemente atua como em uma das poucas vezes na trilogia em que a Princesa parece menos confiante e convencida do que o seu insolente interesse romântico – um sinal de que o que está acontecendo entre eles não é apenas uma paixão temporária. É um momento de química genuíno, até que C-3PO aparece e arruína o clima, naturalmente.


5 - Adeus, Alderaan (Uma Nova Esperança)



Carrie transformou Leia na personagem resiliente da saga, mas a atriz também sabia como revelar o lado vulnerável de Leia. Trazida à ponte da Estrela da Morte para uma audiência com o comandante Grand Moff Tarkin, ela insulta uma das pessoas mais poderosas da galáxia sem hesitação. Mas quando o líder imperial anuncia os planos de explodir o planeta natal da Princesa, a máscara de Leia cai. “Não”, ela balbucia. “Alderaan é pacífica, não temos armas, você não poderia…” Sim, ela pode ser uma monarca e líder rebelde, mas naquele momento se assemelhou a qualquer pessoa incapaz diante de um desastre prestes a acontecer. A negociação, como nós sabemos, não acabou bem.


4 - Más notícias (O Despertar da Força)



Alguns dos espectadores de O Despertar da Força argumentaram que a reação da General Leia à morte de Han Solo foi mal feita. Por que ela passaria reto por Chewbacca, o velho amigo, e iria confortar Rey, uma jovem que ela mal conhecia? Existem inúmeras explicações possíveis, mas se isso foi um erro, então foi um erro bonito. Mais velha, sábia e cheia de fé na Força, e na eventual vitória do espírito humano, a General é tudo que Rey – ou qualquer um – poderia sonhar em ser. Ao deixar de lado o próprio luto para abraçar uma garota jovem que precisa de consolo, a Leia de Carrie demonstra a empatia que nós esperamos de nossos idosos nos momentos em que mais precisamos.


3 - “Eu te amo…” “Eu sei” (O Império Contra-Ataca/O Retorno de Jedi)



Uma das falas improvisadas mais famosas do cinema, a resposta do contrabandista à declaração da Princesa, logo antes de ser congelado pelo Darth Vader, dá ao O Império Contra-Ataca um suspense tão bom quanto os que regem o enredo. Mas, como sempre, Leia tem a última palavra. Cercada pelos soldados de elite do Império durante uma missão importante, após o reencontro deles em O Retorno de Jedi, Leia calmamente alcança a arma que salvará todos eles. “Eu te amo”, Solo diz, com um tom quase de veneração na voz. “Eu sei”, Leia responde, sorrindo como quem sabe que acabou de vencer o namorado no próprio jogo dele.


2 - Ao resgate (Uma Nova Esperança)



Se Solo, Skywalker e Chewie pensaram que haviam encontrado uma dama em apuros ao libertar a Princesa da prisão da Estrela da Morte, eles estavam mais do que errados. Tendo raciocínio rápido e dominando a comédia do insulto, Leia vê além do disfarce de stormtrooper que Skywalker veste e assume a liderança, atirando nos soldados enquanto guia o caminho para a liberdade pelo duto de lixo. A moça não tem tempo para amadores, assim como Carrie, que comanda a cena como uma atriz muito mais experiente do que a jovem de 19 anos que vemos na tela. Nasce uma estrela (guerreira).


1 - “Ajude-me, Obi-Wan Kenobi – você é minha única esperança” (Uma Nova Esperança)



É apenas uma pequena imagem azul projetada de dentro de R2-D2 na garagem de Luke Skywalker, repetindo aquela misteriosa mensagem. Mas aquilo era mais do que a frase que fez o enredo do primeiro Star Wars começar a andar; era como um encantamento, um que prometia desesperança e heroísmo, salvadores com nomes estranhos e riscos tão grandes quanto aquela galáxia muito, muito distante. A versão completa da mensagem holográfica, depois desbloqueada por Skywalker e Obi-Wan, não revelou apenas a história de Leia mas também o talento de Carrie como atriz: ela conseguiu vender o mundo construído por George Lucas, com todos os jargões e absurdos que o acompanham, como se estivesse recitando um solilóquio de Shakespeare. Tudo começa aqui.