Dez músicas da carreira solo de Morrissey que você precisa ouvir

Redação Publicado em 09/03/2012, às 11h46 - Atualizado às 11h48

Morrissey
AP

"First Of The Gang To Die"

Segundo single de You Are The Quarry (2004), a música vem sendo usada para abrir os shows da turnê sul-americana. Este rock sem frescuras fala de Hector, um bandido pé de chinelo que, como indica o título, é o primeiro de uma gangue de criminosos a morrer.


“Satan Rejected My Soul”

Lançada em dezembro de 1997, esta faixa foi o terceiro single do álbum Maladjusted. Ninguém sabe se Morrissey está falando dele mesmo, mas o personagem da canção é tão mala que nem Satanás quer sua alma. A parede de guitarras tocadas por Martin Boorer e Alain Whyte dão punch à canção.


“My Life is a Succession of People Saying Goodbye”

Este foi lado B do single "First of the Gang to Die", de You Are The Quarry. É uma balada retrô, atmosférica e chorosa, na qual Morrissey lamenta ter se separado de tanta gente.


“The World is Full of Crashing Bores”

Para Morrissey, o mundo está cheio de “gente chata pra cacete”. Isto inclui políticos, policiais, pessoas que usam uniforme e até mesmo seus colegas popstars. Em alguns shows, ele chegou a interpretar a canção improvisando: “Tragam-me a cabeça de Elton John!”


“Will Never Marry”

Apesar de ser um ícone da cultura gay, Morrissey nunca assumiu nada a respeito. Sua vida sexual e pessoal sempre foi muito protegida. Ele até já se declarou celibatário e assexuado. Aqui, o cantor diz educadamente que prefere morrer sozinho e está muito feliz com isso.


"You Have Killed Me"


O primeiro single de Ringleader of the Tormentors (2006) faz referência ao filme Accattone (1961), de Pier Paolo Pasolini, e exemplifica o interesse que Morrissey tem pelo cinema italiano.


"Irish Blood, English Heart"

Esta canção de You Are the Quarry chegou a causar alguma polêmica. A melodia foi escrita pelo guitarrista Alain Whyte e já tinha sido usada antes. Depois, Morrissey criou uma nova letra, comentando os conflitos entre a Irlanda e a Inglaterra.


“There's a Place in Hell for Me and My Friends”

Acompanhado de apenas um piano, Morrissey abre o coração nessa canção existencialista de fossa, lançada originalmente no lado 2 do álbum Kill Uncle (1991).


"The More You Ignore Me, the Closer I Get"

Este é o maior hit da carreira solo de Morrissey e até hoje é muito requisitada em suas apresentações ao vivo, embora ele nem sempre a cante. A canção, que fala sobre rejeição, foi o grande destaque do álbum Vauxhall and I (1994).


"Everyday Is Like Sunday"

Um dos hits de Viva Hate (1988), o primeiro álbum solo de Morrissey. O artista usa imagens apocalípticas de uma cidade do litoral inglês para descrever as misérias e o tédio do dia-a-dia.