Pulse

Dez músicas que mostram como Tommy Ramone era rápido com as baquetas

Redação Publicado em 12/07/2014, às 12h00 - Atualizado em 06/11/2015, às 13h34

Galeria - Dez músicas que mostram como Tommy Ramone era rápido com as baquetas - abre
Reprodução/Vídeo

Blitzkrieg Bop



A primeira música do primeiro disco do Ramones já diz muito sobre o ritmo do grupo. A batida acelerada segue constante por quase toda a música, com exceção do refrão, com os gritos de “Hey ho, let’s go!”, em que Tommy abandona os pratos. Além disso, o maior hit do Ramones é composição do próprio baterista, em parceria com o baixista Dee Dee Ramone.


“Havana Affair”



Faixa de Ramones (1976), “Havana Affair” fica ainda mais veloz ao vivo. Além do ritmo clássico imposto por Tommy, ele também usa com mais variedade os pratos na música, demarcando as passagens com batidas no prato de ataque e revezando ritmos entre o chimbal e o prato de condução.


“Let’s Dance”



Tommy faz a introdução da faixa com batidas marcantes e desengonçadas antes de cair no tempo tradicional do punk rock. Apesar de o baterista variar a utilização dos pratos durante a música, a ressonância causada pelas batidas constantes no chimbal aberto cria o “chiado” característico do som do Ramones. “Let’s Dance” também faz parte de Ramones.


“Gimme Gimme Shock Treatment”



É quase impossível ficar parado diante do ritmo acelerado de “Gimme Gimme Shock Treatment”. Em pouco de mais de 1 minuto e meio, Tommy toca de forma a inspirar qualquer roda de pogo.


“Pinhead”



Após a clássica introdução de voz e bateria, Tommy guia a música pelo prato de condução, deixando mais limpo o som do riff inicial. Em seguida, ele retorna ao chimbal para então seguir em ritmo normal. “Pinhead”, assim como “Gimme Gimme Shock Treatment”, faz parte de Leave Home, lançado em 1977.


“California Sun”



“1, 2, 3, 4!”. O icônico grito que antecedia as músicas do Ramones também foi criação de Tommy. “California Sun”, de Leave Home, é uma das faixas a receber a “apresentação” do baterista. E com seu jeito de tocar, Tommy nunca precisou de nada muito sofisticado. Na introdução da música, basta um desvio certeiro e em tonalidade mais grave para Tommy deixar sua marca com as baquetas.


“Rockaway Beach”



1977 foi o ano definitivo para o punk. Além de Leave Home, naquele mesmo ano o Ramones lançou Rocket to Russia. “Rockaway Beach”, segunda faixa do disco, é uma pancada no estilo clássico do grupo nova-iorquino, faixa que cresce ainda mais quando tocada ao vivo. Será que Joey Ramone conseguiria segurar esse ritmo frenético com as baquetas?


“We’re a Happy Family”



Tommy Ramone esteve com o grupo apenas nos três primeiros e seminais discos Ramones, Leave Home e Rocket to Russia. Logo após, ele abandonou as baquetas para voltar à função original, de empresário e produtor. Antes disso, ele contribuiu com “We’re a Happy Family”, uma das faixas mais representativas do Ramones. Tommy mostrava que bastava a velocidade – tocar reto e sem firulas também poderia ser legal.


“Teenage Lobotomy”



Mais uma vez Tommy acompanha a introdução vocal variando batidas secas e graves. Em seguida, mais uma sequência com o compasso 4/4 tocado com a típica agilidade do baterista. Tommy se destacava por encaixar os ritmos como uma luva nos riffs e versos criados pelos companheiros de banda. "Teenage Lobotomy” foi lançada em Rocket to Russia.


“Surfin’ Bird”



Em 1978, Tommy alegou cansaço por causa das desgastantes turnês e deu lugar a Marky Ramone na bateria do grupo. Tommy foi o último Ramone da formação original a morrer. Ele não resistiu a um câncer no ducto biliar e deixou a vida aos 65 anos no dia 11 de julho de 2014. Se algum baterista abriu mão de uma virada para tocar mais rápido e simples, foi por conta de Tommy Ramone.