Dois lados: artistas que são tão (ou mais) odiados quanto amados

Redação Publicado em 04/12/2012, às 18h17 - Atualizado às 18h22

Muitos artistas consegue atrair uma multidão de fãs e, da mesma forma, uma multidão correspondente de pessoas que os odeiam. A lista a seguir traz alguns nomes que são ídolos para muita gente, mas que também são odiados por muitas pessoas.
Reprodução/Facebook oficial

Kristen Stewart

Começou com o fato de que ela nunca sorria no tapete vermelho, fugia das perguntas sobre Robert Pattinson (quando o namoro ainda não era oficial), e, enfim, era estranha e muitos a consideravam péssima atriz. Mas quando foi pega traindo Rob, não conseguiu escapar nem dos fãs da Saga Crepúsculo. Foi seriamente julgada por muita gente e o número de odiadores aumentou. A questão é: se Pattinson conseguiu perdoar e esquecer, por que outros não fazem o mesmo?


Lana Del Rey

Bonita, mas bocuda (e a grande questão: real ou botox?). Uma voz incrível, mas zero de expressão. Quer mostrar algo novo, mas a imagem é construída. Nos debates sobre Lana, estas frases sempre estão presentes. Ela já virou meme e gif em diversas ocasiões, com seus olhares e movimentos mortos, como a famosa dancinha desconfortável que fez no programa norte-americano Saturday Night Live.


Nicolas Cage

Os argumentos variam desde sua atuação exagerada, como defendem muitos tumblrs de ódio contra o ator (e eles são muitos), ou porque o papel de psicopata lhe cai bem, mas infelizmente exploram mais o ator em papéis de herói. Outros comentam que é óbvio que ele conseguiu chegar onde está devido às suas ligações familiares – Cage é sobrinho do aclamado diretor Francis Ford Coppola.


Chad Kroeger

Chad Kroeger representa Nickelback. Nickelback representa – para a maioria dos amantes da música – a destruição do rock nos quesitos criatividade e qualidade. Isso sem contar que ele se mostrou arrogante e pouco cooperativo em muitas entrevistas. O que fazer com um antipático que é líder da banda mais odiada pelos roqueiros e ainda decide casar com Avril Lavigne, que também não é uma das mais queridas?


O elenco de Jersey Shore

Este ódio é fácil de entender. A MTV norte-americana decidiu lançar um reality show que filmava o dia-a-dia de oito jovens que moram juntos em uma casa. Desde que estreou, em 2009, a primeira polêmica foi com os ítalo-americanos, já que a maioria do elenco (que é de ascendência italiana) se autodenominava “Guidos” ou “Guidettes”, um termo considerado ofensivo. Soma-se isso às atitudes dos participantes que se envolviam em brigas, bebedeiras e situações embaraçosas, e, pior, ficando famosos e ganhando fãs com isso. Para fechar com “chave de ouro”, um dos rapazes chegou a se comparar com um dos Beatles devido à fama.


Kanye West

As opiniões são bastante divididas: ou ele é um gênio da música ou um grande “otário”, mas como o ódio sempre consegue ter uma voz mais forte, temos aqui um rapper que é criticado pelas suas declarações nada humildes sobre seu trabalho (exigindo que fosse avaliado como perfeito em todas as revistas), realizava debates irritantes com ele mesmo no Twitter (antes de deletar sua conta) e recentemente começou a namorar outra odiada, Kim Kardashian. Isso sem mencionar seu momento “Imma let you finish” com a queridinha Taylor Swift no VMA.


Kim Kardashian

O fato de como ficou famosa pode explicar tudo: protagonizando um vídeo de conteúdo erótico com seu ex-namorado, o rapper Ray J, irmão da cantora Brandy. Bastou isso para que a modelo e sua família ganhassem um reality show no canal norte-americano E!, Keeping Up With the Kardashians. Muitos atores já declararam seu ódio por Kim, como Jon Hamm, de Mad Men, que declarou: “Se você é Paris Hilton ou Kim Kardashian, a estupidez é celebrada. Ser um perfeito idiota é uma comodidade valiosa em nossa cultura, pois você é significantemente recompensado”. Ser amiga do Justin Bieber também não ajuda.


Justin Bieber

Desde os tempos de “Baby”, Justin Bieber ganhou muitos fãs, mas também ganhou muitos inimigos. As críticas sobre seu franjão, o poder que ele tem sobre as adolescentes, sua voz, ou como ele corrigiu Sabrina Sato sobre a pronúncia de seu nome só aumentam o número de seguidores no clube do ódio. As piadas sobre seu namoro com Selena Gomez variavam, mas eram sempre com o objetivo de aponta-lo como a mulher da relação. As opiniões em blogs e tumblrs de “odiadores” do Bieber dizem que são os fãs que permitiram que ele se tornasse esse ídolo juvenil que faz muitas garotinhas de 10 anos beijarem o chão pelo qual ele andou, e eles devem ser odiados também. A amizade com Chris Brown também dificulta o amor por ele.


Chris Brown

Uma palavra: Rihanna. O dia em que Chris Brown agrediu fisicamente a cantora, ex-namorada dele, entrou pra história. Depois disso, Brown declarou-se inocente no tribunal. Foi sentenciado por violência doméstica e comportou-se descontroladamente em várias ocasiões, como quando jogou a cadeira contra uma janela de vidro porque minutos antes fora questionado sobre o abuso no programa Good Morning America. Só porque Rihanna voltou a ser amiga dele, não quer dizer que o mundo o perdoou. E se você é ameaçado de morte por Jay-Z, tem sérios problemas.


Lindsay Lohan

A atriz, que foi tão querida em tempos de “Meninas Malvadas”, não consegue mais acertar uma. Depois de ir para a prisão várias vezes por motivos variados (dirigir alcoolizada, furto, drogas) e ser internada em clínicas de reabilitação, Lindsay mostra que não quer nem vai mudar. Virou motivo de piada quando se trata de noite de bebedeiras e sua fama de garota-problema faz com que seja a garota predileta dos paparazzi, que sempre têm alguma foto péssima dela.


Liam Gallagher

Quando o ódio começa pelo seu próprio irmão, que aparentemente tem mais fãs e talento que você, é hora de se preocupar. Ou não, se você é Liam Gallagher. Apesar de muitas pessoas o descreverem como uma pessoa adorável, Liam é visto como metido e arrogante ao usar frases como “Lennon tinha razão, somos maiores que Jesus e somos iguais aos Beatles, talvez maiores”, ou “Que bom que ganhamos o prêmio, ou teríamos destruído o lugar”.


Paris Hilton

Atriz, modelo ou DJ, a famosa “loira burra” que todos gostam de odiar é pioneira do tipo de ódio que as Kardashians recebem. Praticamente, a única coisa que fez para ficar famosa foi nascer com o sobrenome Hilton. A ingenuidade, marcada por afirmações como “Eu não acho, eu penso” e “A única regra é não ser entendiante e ir bonita pra qualquer lugar. A vida é curta demais para se misturar”, é sua marca registrada.


Geisy Arruda

Uma universitária que ganhou fama ao sofrer preconceito na faculdade por usar um vestido muito curto. Os não-simpatizantes reclamam que o ódio vem da fama excessiva que a garota ganhou sem muitos feitos, já que tem sempre alguma novidade sobre Geisy em sites de celebridades e, hoje em dia, toda mudança que faz no visual é notícia. A última foi envolveu uma cirurgia íntima e comentários da própria Geisy citando uma couve-flor.


Rafinha Bastos

Há sempre alguém dizendo que irá processar o comediante Rafinha Bastos, que não deixa nenhuma piada escapar, sendo ofensiva ou não. Já se envolveu em polêmicas com uma piada envolvendo estupro, e seus comentários sobre Wanessa Camargo e o bebê dela causaram sua saída do CQC. Recentemente fez uma carta aberta a Luciano Huck criticando-o por dirigir bêbado. Depois pediu desculpas.


Galvão Bueno

O que irritam são as expressões, para a maioria dos odiadores. O famoso “Bom dia, amigos da Rede Globo” é motivo suficiente para alguns mudarem de canal e assistir ao jogo de futebol em outra emissora. O acontecimento histórico deste ódio foi o “Cala Boca, Galvão!”, que repercutiu internacionalmente, e acabou confundindo muito gringo que achava que era uma campanha pra salvar um tipo de ave.