“Faça moda, não faça guerra”: Chanel transforma desfile em "protesto"

Coleção primavera/verão da grife foi apresentada com frases de efeito e manifestação

Redação Publicado em 30/09/2014, às 16h15 - Atualizado às 17h59

Chanel - Primavera/Verão

Ver Galeria
(3 imagens)

Para o desfile na Semana de Moda de Paris, Karl Lagerfeld, estilista da Chanel, resolveu transformar as modelos em manifestantes e os acessórios usuais de primavera/verão em placas com frases de efeito.

Modelos que conseguiram se estabelecer em outras áreas do entretenimento

O “protesto” fashion contou com Cara Delevingne gritando em um megafone, Gisele Bündchen raivosa e Kendall Jenner afirmando que "Direitos das mulheres são mais do que ‘ok’".

Doze escândalos do mundo da moda

Agora, se o estilista estava brincando ou falando sério ao desfilar placas de "Faça moda, não faça Guerra" e "Ele por Ela", "As Damas Primeiro", não ficou claro. Como bem apontou o The Guardian, umas das frases mais icônicas de Lagerfeld é: "Tudo que eu digo é uma piada. Eu mesmo sou uma piada."

Veja mais imagens do "protesto", realizado no Grand Palais, na galeria acima.