Lollapalooza 2015: atrações nacionais elegem “faixa indispensável” de seus shows

Redação Publicado em 25/03/2015, às 20h02

Galeria - Faixas indispensáveis do Lolla - abre
Felipe Colares/Ariel Martini/Fabiane Alcantara

O Lollapalooza 2015 acontece nos próximos dias 28 e 29 de março, com Jack White, Robert Plant, Pharrell Williams e Calvin Harris como headliners, atrações internacionais.



Este ano, entretanto, o Brasil está devidamente representado, com apresentações de artistas que lançaram sólidos álbuns em 2014.



Pitty, Mombojó, O Terno, Boogarins, Baleia e Far From Alaska – algumas das atrações nacionais – falaram à Rolling Stone Brasil quais são as faixas “indispensáveis” de seus shows.



Por Lucas Brêda


Baleia – “Motim”



Palco Skol

28 de março (sábado), das 12h05 às 12h50



“É difícil falar do lado de cá – da banda”, diz o líder Gabriel Vaz. “Temos ‘Casa’, a qual eu acredito ser a mais pop – num bom sentido –, a mais solar, que se conecta facilmente com as pessoas. Mas acho que ‘Motim’ representa mais a banda, ainda em um lugar que considero ser ‘mais acessível’ que as outras. É uma canção que tenho muito orgulho.”


Boogarins – “Infinu”



Palco Axe

28 de março (sábado), das 13h às 13h45



“Temos feito uma passagem instrumental em ‘Lucifernandis’, nos últimos shows, e acho que é a música que mais tenho gostado de tocar ultimamente”, diz o guitarrista Benke Ferraz. “Mas se eu tivesse que escolher uma, seria ‘Infinu’. Acho que ela foi a catalisadora dessa nossa abertura sonora. Desde os primeiros shows, a tocávamos mais longa que a original – no álbum, ela é só uma ‘vinhetinha’. Mesmo antes, com o [baterista] Hans [Castro], já era a canção mais ‘frita’ do show, a que mais dava abertura. Podíamos fazê-la em quatro ou em dez minutos. Hoje em dia só fazemos em dez [risos].”


O Terno – “O Cinza”



Palco Axe

29 de março (domingo), das 14h30 às 15h30



“Ultimamente tem sido muito legal tocar ‘O Cinza’”, diz o vocalista Tim Bernardes. “Ela é bem porrada já de cara, mas tem essa parte mais calma, mais esparramada – tem funcionado ao vivo –, estamos usando os efeitos que usamos no estúdio. Acho, também, que ela mostra vários lados da banda.”


Pitty – “Pequena Morte”



Palco Axe

29 de março (domingo), das 17h30 às 18h30



“Várias. Mas ‘Pequena Morte’ e ‘Boca Aberta’ são bem boas de interpretar, as letras dão espaço para atuar um pouco e isso é legal”, conta Pitty. “E ‘Serpente’ tem sido um momento lindo no show.” – Leia mais aqui.


Mombojó – “Summer Long”



Palco Axe

29 de março (domingo), das 13h às 14h



“Uma música só? [risos] Acho que seria ‘Summer Long’, porque é uma faixa que gostamos muito, tem uma pegada de world music e a participação de Laetitia Sadier – que é uma referência muito forte”, afirma o tecladista Chiquinho. “No começo da banda, queríamos ser o [grupo da qual Laetitia é vocalista] Stereolab, e era impossível. Nessa música, acho que chegamos mais perto. Além disso, ‘Summer Long’ ilustra muito bem o momento atual do Mombojó.”


Far From Alaska - “Dino vs. Dino”



Palco Onix

29 de março (domingo), das 12h40 às 13h25



“Essa pergunta é cruel [risos]. Não vou dar uma resposta pessoal, mas vou tentar falar pela banda: é ‘Dino vs. Dino’”, diz a tecladista Cris Botarelli. “Ela meio que mostra tudo que a gente tem no grupo. Muitas variações – começa lenta e depois explode –, tem coisas eletrônicas, então acho que é uma boa vitrine.” – Leia mais aqui.