Mike Jeffries vai permanecer na presidência da Abercrombie & Fitch por, pelo menos, mais um ano

Empresa rejeitou pedido de investidores de substituir Jeffries

Redação Publicado em 11/12/2013, às 09h36 - Atualizado às 19h57

Abercrombie & Fitch
Reed Saxon/AP

Depois do conflito envolvendo a permanência de Mike Jeffries na presidência da Abercrombie & Fitch, a empresa decidiu renovar o contrato do CEO por mais um ano a partir de fevereiro. As informações são do site Fashionista.

A Engaged Capital, que detém menos de 1% das ações da A&F, publicou uma carta na última semana afirmando que o constante mau desempenho da empresa era resultado de uma falha na liderança. Na nota, também reiterou a necessidade de substituir Jeffries, cujo contrato expirava em fevereiro de 2014. “Dado o histórico de falhas operacionais na história da companhia, junto à idade e a reputação cada vez mais polêmica do Sr. Jeffries, o conselho não pode deixar uma oportunidade dessas passar”, disse o diretor Glenn W. Welling.

Contudo, a A&F comunicou na segunda-feira, 9, que renovará com Jeffries, CEO da marca há 16 anos, e que o novo acordo estabelecido se baseia em uma estrutura de remuneração simplificada, ligado às metas de desempenho da empresa e aos interesses dos acionistas. “Mike é um visionário da indústria e foi responsável por reinventar, criar e desenvolver o que são hoje as marcas Abercrombie & Fitch e Hollister”, disse Craig Stapleton, diretor do conselho da empresa. Stapleton também disse que foi Jeffries o responsável por desenvolver o plano que conduziu a marca ao sucesso anterior, e que ele seria a pessoa certa para dar continuidade a ele.

“Estou honrado em seguir em frente com a Abercrombie & Fitch, fazer parte da melhor equipe da indústria e capitalizar em cima do valor das nossas marcar icônicas”, disse Jeffries no comunicado. “Nós vamos tomar medidas agressivas em relação ao mercado desafiador que é o de varejo adolescente aumentando nossa velocidade e elevando o compromisso da nossa marca.”

Mike Jeffries causou uma comoção ao dizer que a empresa só produzia tamanhos pequenos de roupas para que apenas gente magra consumisse a marca, e que a grife era apenas para pessoas “cool e bonitas”. Vários boicotes foram incentivados, protestos foram feitos e a empresa viu as vendas despencarem. Posteriormente, ainda foram divulgadas as regras de vestimenta dos funcionários, que eram absurdas e geraram ainda mais polêmica. Passado tudo isso - e depois da A&F ter voltado atrás e passado a vender roupas de tamanhos maiores - o resultado da confusão, somada ao fato de que a empresa já não ia bem financeiramente, é que o valor das ações caiu 30%.

Quando a carta dos acionistas que pedia a demissão do CEO se tornou pública, as ações da Abercrombie & Fitch subiram 7,3%, evidenciando que a sugestão poderia beneficiar os negócios da empresa. Por outro lado, assim que foi anunciado que Jeffries permaneceria no cargo, as ações voltaram a cair 2%.