Pulse

Veja 10 grandes atletas que se aventuraram no mundo da música

Trabalhar com música ou esporte é, para muitos, a forma mais prazerosa de se levar a vida e constantemente aparecem atletas quem têm o privilégio de viver uma experiência artística. Ouça dez desses casos a seguir.

Redação Publicado em 05/03/2015, às 09h00

Trabalhar com música ou esporte é, para muitos, a forma mais prazerosa de se levar a vida. Constantemente aparecem atletas quem têm o privilégio de viver uma experiência artística. Veja dez desses casos a seguir.
Reprodução/vídeo

Neymar

O atacante cansou de repetir a coreografia de “Eu Quero Tchu, Eu Quero Tcha”, durante as comemorações dos gols marcados por ele, e fez uma pontinha no videoclipe da dupla sertaneja João Lucas & Marcelo, intérprete da música. Além disso, é visto em “Zica, Vai Lá”, de Emicida, e é protagonista de “País do Futebol”, de MC Guime, onde dá um depoimento, joga videogame e mostra a habilidade como craque dos gramados.


Sandro Dias, o Mineirinho

Quem também está no clipe de “Zica, Vai Lá”, do rapper Emicida, é Mineirinho, já considerado o melhor skatista do mundo. Ele aparece no filme como intermediador em uma rinha de luta livre e até flerta com a cantora Gaby Amarantos. Já Neymar é um mestre de artes marciais na história. O lutador de MMA Anderson Silva, ex-campeão dos pesos médios do UFC, é citado na letra.


Carlitos Tevez

Outro que gostava de dançar depois de balançar a rede pelo Corinthians é Carlitos Tevez. O argentino, hoje jogador da Juventus, volta e meia sobe ao palco de um show de cumbia, o ritmo preferido dele, e gosta de cantar com o grupo Piola Vago, com quem gravou a música “Dejala”.


Shaquille O'Neal

Com 2,16m de altura e 147 quilos, o ex-astro da NBA costumava aterrorizar os marcadores voando até o garrafão para enterrar bolas de basquete cesta abaixo (chegou até a quebrar algumas delas ao longo da carreira). E além das quadras, as rimas do rap foram utilizadas como meio de expressão por Shaq. A carreira dele como cantor durou quatro álbuns, duas coletâneas, duas trilhas sonoras e nove singles.


Oscar De La Hoya

Ex-campeão mundial de boxe e medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de 1992, em Barcelona, o norte-americano de origem mexicana revelou um lado sensível ao gravar um disco - homônimo - de músicas românticas em espanhol e em inglês. Não fez muito sucesso.


Novak Djokovic

O tenista número 1 do mundo é conhecido pelo ótimo jogo e pelas gracinhas dentro das quadras. Uma das performances mais conhecidas do sérvio é a de “Call Me Maybe”, hit da cantora pop Carly Rae Jepsen.


Ronaldo

Ídolo do Corinthians nas décadas de 1980 e 1990, o goleiro ainda estava na ativa quando decidiu montar o Ronaldo e Os Impedidos, grupo de rock que tinha o próprio atleta desempenhando o papel de vocalista com uma voz empolada, à Elvis Presley. Ronaldo já pendurou as chuteiras, mas o grupo segue na ativa.


Rogério Ceni



Não bastasse apanhar bolas indefensáveis e fazer gols de pênalti e de falta, o multi-campeão Rogério Ceni ainda brinda a torcida do São Paulo com voz e violão. O goleiro não chegou a montar uma banda, como Ronaldo, mas gosta de apresentar os dotes musicais diante das câmeras de TV. “Wish You Were Here”, do Pink Floyd, é uma das canções preferidas dele.


Zico

O maior ídolo da história do Flamengo já foi tema e puxou samba-enredo de escola da samba (da Imperatriz Leopoldinense, em 2014), virou música de Jorge Ben (“Camisa 10 da Gávea”) e de vez em quando solta o gogó ao lado de personalidades da música popular brasileira, como Moraes Moreira.


Pelé

No time dos atletas músicos não poderia faltar ele, o Rei Pelé. O eterno camisa 10 do Santos e da seleção brasileira compõe, canta e toca violão, mas não tão bem como jogava futebol.