Rihanna processa loja de roupas em US$ 5 milhões por uso indevido de imagem

Cantora e empresário brigam judicialmente para que a Topshop pare de vender camisetas com o rosto dela estampado

Redação Publicado em 20/05/2013, às 14h30 - Atualizado às 21h13

Rihanna
AP

A cantora Rihanna decidiu encerrar com as negociações e irá abrir um processo judicial contra a loja de roupas Topshop, noticiou o New York Post. Ela pede US$ 5 milhões de indenização por uso inapropriado de imagem.

Foram oito meses de conversas entre o empresário dela e a empresa, que possui mais de 440 lojas ao redor do mundo (inclusive em São Paulo). Eles pediam para que as camisetas com o rosto de Rihanna não fossem mais vendidas e fossem retiradas do catálogo, já que ela não concordou com o uso.

Segundo uma fonte não identificada, o Arcadia Group, grupo que é dono da Topshop, ofereceu apenas US$ 5 mil e disseram “não se importar”.

A empresa teria comprado a imagem diretamente com um fotógrafo. E as leis no Reino Unido não protegem os artistas em situações como esta. “O que foi mais ofensivo, para Rihanna, foi que eles basicamente disseram para que ela: ‘vá para o inferno, nós não nos importamos e vamos continuar vendendo você’”, disse a fonte.

Rihanna, atualmente, assina uma coleção na River Island, uma loja de roupas concorrente da Topshop no Reino Unido.