Carlos Santana faz 70 anos; relembre a carreira do guitarrista

Paulo Cavalcanti Publicado em 20/07/2017, às 13h26 - Atualizado às 16h23

70 anos Carlos Santana - Abre
Mustafa Quraishi/AP

"Evil Ways”



Este faixa de Santana (1969) chegou ao Top 10 norte-americano e foi o primeiro grande hit da banda. Era uma canção obscura, escrita pelo guitarrista Clarence "Sonny" Henry e gravada originalmente em 1967 pelo percussionista Willie Bobo. Destaque para o vocal e o órgão executado por Gregg Rolie. A canção foi regravada posteriormente por inúmeros artistas, mas a versão de Santana ainda é a mais lembrada.


“Jingo”



Outro destaque do LP de estreia de Santana, "Jingo" surgiu originalmente em 1959 em um álbum do percussionista nigeriano Babatunde Olatunji. O título original era “Jin-go-lo-ba”. Santana refez a canção, mas não descartou a base sonora africana, privilegiando a percussão. A grande sacada é que ele colocou seu inconfundível toque latino e também deu toques do rock psicodélico de São Francisco à mistura. Assim, "Jingo" se tornou uma das primeiras e mais bem-sucedidas experiências do rock dentro da seara da world music.


"Soul Sacrifice"



Depois da devastadora performance de Carlos Santana e seus músicos no Festival de Woodstock, em agosto de 1969, ele se transformou um dos maiores nomes do rock. No filme sobre o evento, a banda do é vista interpretando "Soul Sacrifice". Todos os músicos brilham de forma intensa. O guitarrista apresenta grandes riffs e o baterista Michael Shrieve simplesmente rouba a cena. É também a faixa final de Santana (1969), o álbum de estreia do grupo.


“Black Magic Woman”



Gravada originalmente em 1968 pelo Fleetwood Mac, na época em que era uma banda britânica de blues, “Black Magic Woman” foi resgatada em 1970 por Santana. O toque latino deu uma nova vida à criação do guitarrista Peter Green, líder do Mac. Santana incorporou a instrumental "Gypsy Queen", canção do folclore húngaro. O single chegou ao quarto lugar da parada, tornando-se assim uma das assinaturas sonoras de Carlos Santana.


“Samba Pa Ti”



A influência da música brasileira fica evidente em "Samba Pa Ti”, canção escrita pelo próprio guitarrista e incluída também no álbum Abraxas (1970). Em pouco tempo a faixa instrumental se tornou muito celebrada e obrigatória nas apresentação do grupo. Com o tempo, ela ganhou inúmeros covers, com vários artistas colocando suas próprias letras.


“Oye Como Va”



Escrita pela lenda da música latina Tito Puente em 1963, a canção foi revitalizada por Santana em 1970 no álbum Abraxas. Ele, claro, mudou algumas coisas. O jeitão de rumba se foi e a canção foi dominada por uma releitura roqueira, com órgão e guitarra. A banda também resistiu à tentação de criar uma letra em inglês e os integrantes tiveram que gastar o espanhol. Foi sucesso, alcançando o Top 15.


“Hope You’re Feeling Better”



Esta outra canção de Abraxas também se tornou um hit. Escrita pelo cantor e tecladista Gregg Rolie, ela se mostra um pouco mais roqueira do que o resto do trabalho. Posteriormente, Rolie iria fundaria o Journey, outra banda da cena de São Francisco que se consagraria. “Hope You’re Feeling Better” já indica este caminho.


"Hold On"



Lançado em 1982, Shangó é até hoje um dos mais interessantes álbuns lançados por Santana naquela década. "Hold On", com sonoridade típica da época e vocal feito pelo escocês Alex Ligertwood, foi um dos singles do trabalho e chegou ao Top 20. A faixa foi escrita e gravada originalmente pelo canadense Ian Thomas.


“Smooth”



Apesar de sempre se apresentar para shows lotados, há um bom tempo Santana não tinha um disco que cumprisse um bom papel comercial nas paradas. Até que em 1999 lançou Supernatural. A faixa que puxou o trabalho foi a vibrante “Smooth”, com vocal de Rob Thomas, do Matchbox Twenty. O sucesso do single foi imenso e fez com que Supernatural se tornasse o álbum mais vendido da carreira de Santana.


"Maria Maria"



Esta foi outra faixa de Supernatural que chegou ao primeiro lugar das paradas e foi executada exaustivamente pelas rádios ao redor do mundo. O clipe também é muito lembrado. A charmosa canção foi produzida por Wyclef Jean e Jerry Duplessis e ainda tem a participação da dupla de R&B The Product G&B.