140 caracteres que fazem diferença

Redação Publicado em 07/04/2009, às 14h06

Amanda Palmer , vocalista da banda norte-americana Dresden Dolls, anda de pá virada com sua gravadora.

E por isso, quer porque quer que se seus chefes a coloquem no olho da rua.

A cantora escreveu uma carta aberta (que pegou carona na cauda de cometa que é a internet), na qual pede aos fãs que a ajudem a completar a missão de "letrar" a chefia da Roadrunner Records no mundo digital.

O motivo da irritação da srta. Palmer?

A chefia do seu selo não sabe o que é, muito menos como funciona, o Twitter. E desse sítio arqueológico Amanda não queria mais saber.

Responsável por artistas como Nickelback, Soulfly, Slipknot e Nightwish, a gravadora ouviu poucas e boas da moça - que põe na conta 17 mil seguidores no Twitter, por meio do qual, aliás, recebeu apoio do Trent Reznor, do Nine Inch Nails.

Abaixo, alguns techos do e-mail de súplica, que leva o título "Please, drop me!" (algo como "por favor, me deixem!"):

"Eu tive de EXPLICAR para o tal 'chefe de mídias digitais' da Roadrunner Australia o que TWITTER era. Sua desculpa - '(a moda) ainda não pegou aqui' - foi ABSURDA, pois no dia seguinte twittei que estaria em um parque e, 12 horas depois, 150 fãs menores de idade, que não poderiam ir ao show, estavam lá para que eu autografasse seus álbuns.

Nenhum gerente sabia! Eu sequer avisei! Nenhum agente! Ou segurança! Estávamos na porra de um parque público. A vida está ficando sensacional."

A carta continua - para a versão na íntegra, em inglês, corra a este blog aqui.

Não contente em "twittar", a artista, das mais atuantes nas redes sociais da web, ainda fez uma música para divulgar a causa: