Autora de Harry Potter revela que a personagem Dolores Umbridge é baseada em uma professora real - também nada boazinha

J.K. Rowling afirma que uma das personagens mais detestada dos livros existia na vida real e “de quem desgostei logo de cara”

Redação Publicado em 31/10/2014, às 12h24 - Atualizado às 12h31

Harry Potter (Daniel Redcliffe) sofreu nas mãos de Dolores Umbridge (Imelda Staunton).

Ver Galeria
(11 imagens)

Os fãs de Harry Potter têm opiniões diferentes sobre as qualidades e defeitos de vários personagens, mas uma delas certamente garante a animosidade de 99 entre 100 leitores do bruxo com a cicatriz na testa: Dolores Umbridge é insuportável.

Dez objetos mágicos que fãs de Harry Potter adorariam que fossem reais

A bruxa baixinha que aparece em Harry Potter e a Ordem da Fenix, publicado originalmente em 2003, como subsecretária do Ministro da Magia, depois se torna professora em Hogwarts e até diretora da escola de magia, esbanjava desgosto e maldade, embora do sorriso falsamente doce: ela obrigava os alunos, inclusive Harry, a escreverem com uma pena de tinteiro que, magica e malevolamente, rasgava as costas da mão do aluno, como uma faca.

As mais deliciosas comidas e bebidas criadas na ficção.

A personagem altamente desprezível, segundo revelou a autora J.K. Rowling em um artigo publicado no site Pottermore é baseada em uma professora com quem ela teve o (desprazer) de conviver e “de quem eu desgostei logo de cara”.

“A mulher em questão devolveu minha antipatia com gosto”, escreveu J.K.. “Porque nos voltamos uma contra a outra tão instantânea, intensa e (da minha parte, pelo menos) irracionalmente, honestamente, não sei dizer.”

Dez espadas famosas de filmes, games e séries.

A autora conta que até o visual da Umbdrige da vida real era similar à ficção. “[Ela tinha] uma preferência acentuada por acessórios espalhafatosos”, escreveu. “Dolores é uma das personagens por quem sinto o mais puro desgosto.”

Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 traz aos fãs da saga a catarse pela qual esperaram por mais de uma década.

“Seu desejo de controlar, punir e infligir dor, tudo em nome da lei e da ordem, são, acho, tão condenáveis quanto a defesa explícita do mal de Lorde Voldemort”, completou a autora, lembrando do principal vilão dos livros.