Deputado Marco Feliciano diz que Deus “matou” John Lennon e os Mamonas Assassinas

Em um culto, o pastor afirma que os músicos “afrontaram Deus” e por isso tiveram os destinos que tiveram

Redação Publicado em 08/04/2013, às 12h58 - Atualizado às 13h20

Marco Feliciano
Reprodução/vídeo

As mortes trágicas de John Lennon e dos integrantes do Mamonas Assassinas ganharam uma interpretação um tanto torta do deputado Marco Feliciano (PSC-SP). O pastor e presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, entre outras coisas, alegou durante um culto que a morte de Lennon aconteceu porque "ninguém afronta Deus e sobrevive para debochar”.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Os vídeos podem ser vistos abaixo e são relativos a cultos antigos, mas começaram a circular na internet no último domingo, 7. O pastor relembrou a famosa e polêmica frase de Lennon, nos anos 1960, sobre os Beatles serem mais populares que Jesus Cristo. "Passou algum tempo depois dessa declaração, está ele entrando no seu apartamento quando escuta alguém chamar pelo nome. Ele vira e é alvejado com três tiros no peito", disse Feliciano, acrescentando que os três tiros foram “um em nome do Pai, em nome do Filho e em nome do Espírito Santo”.

Em outro vídeo, que aparenta ter sido gravado no mesmo dia, Feliciano comenta o acidente de avião que matou os cinco integrantes do Mamonas Assassinas em 1996. “Deus fulminou aqueles que tentaram colocar palavras torpes na boca das nossas crianças", argumentou.