Feitiço do Tempo - e se o dia de hoje se repetisse várias vezes?

Hoje é Dia da Marmota!

Redação Publicado em 02/02/2014, às 07h31 - Atualizado às 13h41

Feitiço do Tempo
Reprodução

Todo mundo já teve um dia horrível que gostaria de nunca mais repetir. A boa notícia é que é praticamente impossível um dia (bom ou ruim) acontecer mais de uma vez, se desenrolando igualzinho. A não ser que você seja um personagem da ficção. Esse é o tema de Feitiço do Tempo, filme de 1993 que tem como personagem central o “moço do tempo” Phil (Bill Murray), um sujeito mau-humorado e egocêntrico que não aguenta mais, todo início de fevereiro, ser mandado para a pequena cidade de Punxsutawney, na Pennsylvania, para cobrir uma celebração popular bem peculiar – e que existe de verdade.

O folclore idolatra uma marmota, batizada nos EUA de Phil (embora a festa aconteça desde, pelo menos, 1886, os organizadores juram que é a mesma marmota, que vive tanto assim por causa de um elixir que toma no verão). Todo dia 2 de fevereiro, uma multidão sai de casa (muitos deles viajam de outros estados para as festividades), enfrentando o frio do inverno do hemisfério norte para observar a reação de Phil ao sair da toca. Diz a lenda que caso o roedor saia e veja a própria sombra, ele se assusta com ela e corre para dentro da toca novamente - e então o inverno continua por mais seis semanas. Se Phil emerge, não vê sombra e continua ali do lado de fora, isso quer dizer que a pior parte do inverno já passou, para a alegria dos encapuzados e friorentos espectadores. Caso soe completamente insano para você, é porque é completamente insano.

E esse era o argumento de Phil, o homem do tempo, ao criticar a coisa toda. Na história, ele viaja com a equipe de jornalismo do canal onde trabalha para cobrir o evento e, depois de passar por vários apuros naquele 2 de fevereiro, acorda no dia seguinte e... é 2 de fevereiro de novo! Mas somente para ele. Todas as pessoas em volta de Phil acreditam que estão vivendo aquela data pela primeira vez. E toda noite Phil vai dormir esperançoso de que conseguirá virar a folhinha do calendário, mas desperta de manhã com a mesma música da Cher tocando na rádio e com a mesma missão: cobrir o Dia da Marmota, porque é 2 de fevereiro. Ah, tem um detalhe: nem ir embora da cidade ele pode, porque o tempo ruim fechou a estrada.

Vale lembrar que o evento não acontece apenas em Punxsutawney, mas esta é a cidade com a maior comemoração, especialmente depois que foi lançado o longa, que tem direção de Harold Ramis. A produção ajudou a disseminar essa história no mundo todo. Andie MacDowell, Chris Elliott, Stephen Tobolowsky e Marita Geraghty também estão no elenco. O filme chegou a ganhar vários prêmios, incluindo o BAFTA de Melhor Roteiro, mas a reputação dele foi crescendo ao longo dos anos, conforme foi ganhando status de cult.

Mais uma curiosidade: até 2013, Phil (a marmota, não o personagem) tinha visto a própria sombra 100 vezes, pelo que se tem registro (atualização: 101, contando com 2014). Segundo o Centro de Informações Climáticas dos EUA, a marmota acertou a previsão cerca de 40% do tempo. Eles chegaram a essa conclusão comparando as previsões de Phil com as temperaturas médias de fevereiro e março. Muitas vezes, porém, quando Phil previu mais seis semanas de inverno, esses meses acabaram sendo até mais quentes do que a média.

Se você não estiver a fim de sair da sua toca, aproveite o 2 de fevereiro para assistir ao longa (dica: tem na Netflix). Ou então, escolha algo bem divertido para fazer, caso o dia de hoje resolva se repetir amanhã.

Musical

Mês passado, o músico e comediante Tim Minchin confirmou que está planejando uma adaptação musical para os palcos. “Parece que nosso pequeno segredo vazou”, escreveu Minchin em seu site oficial, no anúncio da adaptação do roteiro “icônico e brilhante” de Danny Rubin. “É o próprio Danny que está escrevendo o texto; eu estou escrevendo as músicas e as letras, e Matthew Warchus é o diretor.”

Embora não poupe elogios à “verdadeira comédia clássica”, o músico garantiu que a versão musical será “ao mesmo tempo reconhecível e completamente diferente”. “Seria impossível tentar traduzir o estilo e o tom do filme no palco”, escreveu. “Mesmo se isso fosse possível, não me interessaria.”

“O conceito central é perfeitamente cabível ao teatro”, continuou. “Na verdade, acho que muitas das ideias podem ser aprimoradas no palco. Tem potencial para ser complexo, obscuro, visualmente fascinante e tematicamente rico, mesmo sendo uma comédia romântica com músicas legais e muitas piadas. Certamente não é um trabalho fácil, e estou verdadeiramente honrado – e genuinamente animado – por Danny ter me deixado por a mão nisto.”

Minchin ainda observa que a ideia da adaptação já está no ar há alguns anos, sendo que o lendário Stephen Sondheim foi quem originalmente a sugeriu. “Eu tenho falado com ele [Sondheim] sobre isso”, disse. “E a verdade é que foi ele quem apareceu com a ideia. Ele colocou em segundo plano, e agora está feliz que estamos indo adiante. Temos a benção de Steve – e é uma benção que valorizo enormemente.”

Atenção, possível spoiler abaixo

A equipe espera trabalhar no projeto durante os próximos meses, com a ideia de levar a peça para o palco nos próximos dois anos. Mas Minchin, sempre com uma boa piada, alerta os fãs para se prepararem para o inesperado: “Talvez todo o projeto caia em um looping temporal. E não conseguiremos terminar de escrever até que alcancemos a sabedoria.”