OK Computer, do Radiohead, entra para arquivo do congresso norte-americano

Lançado em 1997, álbum estará ao lado de gravações históricas, como o discurso de Martin Luther King Jr.

Redação Publicado em 26/03/2015, às 11h55 - Atualizado às 13h42

OK Computer
Divulgação

A biblioteca do congresso norte-americano, anualmente, introduz 25 gravações sonoras ao arquivo da instituição. A ação tem como objetivo a preservação da memória tanto histórica quanto estética do país. Em 2015, foi a vez de OK Computer, álbum do Radiohead lançado em 1997, se juntar ao honrável rol. O disco estará ao lado do famoso discurso de Martin Luther King Jr. e ao lado do pronunciamento de Franklin Delano Roosevelt ao congresso após o ataque japonês em Pearl Harbor.

Dez maneiras inusitadas de se lançar um disco.

OK Computer é tido como um álbum chave na mudança de rumo do pop contemporâneo, foi nele que Thom Yorke e companhia abondaram as tradicionais guitarras de rock para investiram em experimentações, fazendo do Radiohead uma das bandas mais respeitadas do mundo.

Reconectando o Radiohead: como a banda mais experimental da música atual aprendeu a fazer rock novamente.

Além de OK Computer, o arquivo do congresso já armazena disco como Nevermind, lançado pelo Nirvana em 1991; Are You Experienced?, gravado pelo trio liderado por Jimi Hendrix em 1968; além do histórico registro feito por Johnny Cash na penitenciária de Folsom em 1968.

Discos internacionais aguardados que serão lançados em 2015.

Qualquer cidadão norte-americano pode sugerir gravações, no entanto, ela precisa ter mais de dez anos, além de justificar a relevância histórica ou estética do material.

Novo álbum

O Radiohead lançará o próximo disco da carreira ainda em 2015. A banda passou cerca de dois meses nas gravações do sucessor de The King Of Limbs (2011) – ainda sem título – e, segundo o guitarrista Jonny Greenwood, o grupo “certamente mudou o método”.

“É muito difícil [de explicar como acontece]”, disse ele em entrevista ao The Sunday Guardian. “Estamos trabalhando com limites. Então vamos ver o que acontece. É como se estivéssemos tentando usar coisas velhas e novas tecnologias para ver como fica.”

Greenwood ainda acrescentou que as gravações têm ido “muito bem”. “Não tínhamos ouvido nada antes, então, estamos todos bem felizes”, comentou o guitarrista. “Agora, suponho que vamos ouvir o que fizemos e ver se estávamos corretos em ficar contentes. Mas deixamos as coisas em um bom estado da última vez que paramos.”

O Radiohead volta a preparar novas músicas três anos após o lançamento de The King of Limbs, tempo no qual os integrantes do grupo se mantiveram ocupados. Greenwood, por exemplo, continuou trabalhando com trilhas sonoras orquestradas para filmes (incluindo Inherent Vice, longa de Paul Thomas Anderson).

Enquanto isso, o baterista Philip Selway produziu o segundo disco solo dele, que foi lançado em outubro de 2014. O vocalista Thom Yorke fez shows com o Atoms for Peace, um projeto paralelo em parceria com Flea (Red Hot Chili Peppers) e Nigel Godrich. Além disso, no ano passado, Yorke lançou um disco solo surpresa no BitTorrent, chamado Tomorrow's Modern Boxes, sob o valor de US$ 6 (saiba mais aqui).

Veja abaixo uma imagem da banda em estúdio, divulgada recentemente pelo produtor Nigel Godrich.