Marco Feliciano ataca novamente: o alvo agora é Caetano Veloso

Pastor diz que o cantor baiano usou forças malignas para fazer sucesso com a música “Sozinho”

Redação Publicado em 10/04/2013, às 12h02 - Atualizado às 12h39

Marco Feliciano
Reprodução

Continua a busca por pérolas soltadas pelo pastor Marco Feliciano, deputado federal e presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias na Câmara, durante suas pregações passadas. Depois de aparecerem na internet vídeos em que ele afirma que os Mamonas Assassinas e John Lennon foram assassinados por Deus, agora é a vez de um novo alvo: Caetano Veloso.

Segundo ele, o cantor baiano foi apoiado por forças malignas para fazer sucesso com a música “Sozinho”. Feliciano insinua que esse foi o motivo de ele vender mais cópias do que venderam anteriormente Tim Maia e Sandra de Sá com a mesma canção.

O discurso do deputado narra o encontro de Caetano com a Mãe Menininha do Gantois, do Candomblé, para que ele apresentasse a composição de Peninha antes de gravá-la. “Não subestime o diabo”, diz Feliciano.

Além de ofensiva, a história de Feliciano não faz sentido historicamente. Caetano Veloso gravou, sim, “Sozinho” depois de Sandra de Sá e Tim Maia, e fez, sim, mais sucesso que os dois. Mas a gravação foi feita para o disco Prenda Minha, de 1998, mais de dez anos depois da morte da mãe-de-santo.

Uma explicação mais plausível para o sucesso de Caetano com a canção é que foi a versão dele que integrou a trilha sonora da novela Suave Veneno, em 1999. A voz do cantor embalava os encontros entre os personagens Eliseu (Rodrigo Santoro) e Márcia (Luana Piovani). Veja abaixo.

Não satisfeito, Feliciano também citou Lady Gaga: “O diabo tem uma Lady Gaga que canta e encanta”.

Veja as declarações de Feliciano durante um culto:

Ou, se preferir, uma cena de Suave Veneno com a trilha de Caetano Veloso: