Martin Luther King Jr. e o hip-hop: Kanye West e Killer Mike prestam homenagens

Aos 12 anos, West recitou poema; aos 39, Mike diz que líder era "um revolucionário"

Redação Publicado em 24/01/2015, às 12h08

Killer Mike.
Robb Cohen/AP

“Martin Luther King, Jr. era um revolucionário, simples assim. Ele não viveu uma vida comum para comemorar o 86º aniversário. Ele morreu vítima de um homicídio porque teve a audácia de desafiar uma máquina criada pra submeter homens e mulheres negros à uma guerra ilegal e empobrecedora”. Com essas palavras, o rapper norte-americano Killer Mike descreve a importância do líder negro Martin Luther King Jr. para as vitórias e lutas da população afrodescendente nos Estados Unidos.

Mike faz parte da dupla de hip-hop Run the Jewels, em 2014 lançou um dos discos mais aclamados pela crítica, Run the Jewels 2. Com rimas ácidas e críticas profundas à estrutura social norte-americano, Killer Mike figura como um dos artistas mais engajados nas questões raciais e sociais pendentes no debate público.

Como o fotógrafo nova-iorquino Jamel Shabazz retratou os primórdios do movimento hip-hop

No último ano, durante uma apresentação em St. Louis, logo após o júri ter declarado inocente o policial que atirou no jovem Michael Brown, na cidade de Ferguson, o rapper deu um memorável discurso sobre a importância da mobilização na comunidade negra: “Só tenho de dizer que, cara, não importa o quanto nos esforcemos, não importa estarmos preparados, coisas ruins acontecem o tempo inteiro e você se sente um lixo. E hoje eu me senti um lixo ao ouvir àquele promotor. Não temos outra saída a não ser estarmos unidos”.

Veja o discurso de Killer Mike:

Jay Z comenta questões raciais nos EUA: “Preconceito é ensinado em casa”

Para Mike, o legado Martin Luther King não pode ser esquecido e o dia em que se comemora o aniversário de King não deve ser tratado como qualquer feriado. “Na celebração do 86º aniversário de Martin Luther King Jr., eu pergunto: 'O que fazer em seguida?' Tirar o dia de folga, festejar e assistir à uma parada na TV? Vamos continuar o que Martin começou?”, indaga o músico. “Temos de ser aliados dos jovens que estão nas ruas lutando contra os abusos de uma polícia corrupta (...). Temos de ser revolucionários, nada menos”.

Aos 12 anos, Kanye West recita poema sobre igualdade.

Em vídeo publicado por Kim Kardashian via Twitter, Kanye West aparece em um evento escolar, aos 12 anos, recitando um poema sobre o legado de Martin Luther King Jr. “Um homem que lutou por liberdade/ Um homem que lutou por igualdade”, proclama o jovem West.

Reminiscências Valiosas

No texto, o futuro rapper afirma que a luta de King era por dignidade e por direitos, que a figura dele representa a vontade de todas as minorias. “Os que eram contra ele/ Eram cegos demais pra ver/ O que este homem lutou por/ Para que negros, hispânicos, judeus e asiáticos pudessem se impor (...) Estou falando de Martin Luther King/ Homem o qual o nome significa amor”.

Assista ao video de Kanye West recitando o poema.