Eduardo Gudin, um músico para músicos

Robie R. Publicado em 21/11/2011, às 15h46 - Atualizado às 16h14

Eduardo Gudin
Divulgação

Por Robie R.

Você conhece a obra musical de Eduardo Gudin? Eu confesso que desperdicei anos de minha vida sem conhecer o trabalho deste gigante da música popular brasileira. Pelos acasos da vida, conheci-o pessoalmente, antes de ser apresentado à sua arte. Em um encontro de músicos em um bar, saí para fumar um maldito cigarro e comecei a puxar papo sobre música com um senhor de barba, que ali se encontrava. No breve diálogo, ele me falou que possuía uma banda e que era dono de um bar. Não disse seu nome. No decorrer da noitada, descobri que estava falando com uma das mais importantes figuras da MPB. Gafe histórica!

Depois desse carão, mergulhei fundo no oceano de Gudin e me deparei com um mar de pérolas musicais. Sua biografia merece um livro tão extenso e grandioso como sua carreira. Gudin começou como músico profissional aos dezesseis anos de idade, no programa O Fino da Bossa, apresentado por Elis Regina, e não parou mais. São 45 anos de estrada, em 61 de vida.

Compositor, arranjador, instrumentista, produtor musical, parceiro de ícones, que vão de Adoniran Barbosa e Nelson Cavaquinho, a Paulinho da Viola e Caetano Veloso. Descobridor, lançador e lapidador de talentos: de Leila Pinheiro a Monica Salmaso, Fabiana Cozza, Renato Braz e, da novíssima geração, como Mauricio Sant'Anna e Ilana Volcov, só para citar alguns. Eduardo Gudin respira e transpira música. Gravou discos com gênios como Hermeto Pascoal e teve músicas suas interpretadas por Clara Nunes, Beth Carvalho, MPB4 entre outros.

Ele é mais conhecido como compositor de sambas, que compõe de uma maneira muito particular. O diferencial está entre o casamento de seu violão, que toca como poucos no Brasil, com a percussão de sua banda , a Notícias dum Brasil. Para falar de Gudin, só mesmo um crítico do naipe de Zuza Homem de Mello:

Zuza se confunde um pouco. O ano citado por ele, 1958, antecipa em dez anos as suas previsões. A data correta é 1968. No caso, Gudin teria 8 anos de idade e não 18, lapso que alivia um pouco a minha gafe!

Atualmente, Eduardo Gudin continua compondo, fazendo arranjos e shows. Seja ao lado de Toquinho, Paulinho da Viola, Leila Pinheiro ou Fátima Guedes, por exemplo, ou com a Notícias dum Brasil, que possui três álbuns gravados e, às vezes, convida personagens ilustres para se juntar ao grupo, como Elton Medeiros (parceiro de Cartola). No vídeo abaixo, saiba mais sobre a obra do artista:

Uma boa notícia: em meados do ano que vem será lançado o primeiro DVD de Gudin. Uma ótima opção para quem já conhece seu trabalho, ou para aqueles que desejam conhecer. Fiquem atentos às datas dos shows que serão marcadas para celebrar o lançamento.