Música também era a praia de Chico Anysio

Redação Publicado em 06/04/2012, às 19h45 - Atualizado em 09/04/2012, às 20h52

Chico Anysio
Divulgação

Por Cláudia Boëchat

Chico Anysio é mesmo um cara para ser reverenciado eternamente. Suas criações se espalham por todas as áreas, inclusive na música. Um de seus filhos, Nizo Neto, me contou, inclusive, que são dezenas de canções compostas por Chico e algumas ainda inéditas, feitas em parceria com Sarah Benchimol.

Olha um exemplo da parceria de Chico com Sarah na interpretação de Martinho da Vila:

Dolores Duran gravou um disco inteirinho com músicas de Chico Anysio. Ouça um baião:

Alcione canta lindamente outra composição, memorável, do humorista, “Rio Antigo”, parceria com Nonato Buzar:

Elis Regina, outra grande voz da MPB, também cantou Chico Anysio. E quer saber mais? Nesse vídeo muito especial, ele ainda canta com ela o clássico “Canto de Ossanha”, de Vinicius de Moraes e Baden Powell. Ouça:

Dalva de Oliveira também. Uma canção inesquecível, feita por Chico em parceria com João Roberto Kelly, deu nome a um disco da diva: “Rancho da Praça XI”.

“O cara que ensinou Tom Jobim a compor” foi parceiro de Chico Anysio, que assim se referiu a Hianto de Almeida em um programa de TV. E ninguém menos que Maysa estava entre os que deram voz à dupla:

Anysio disse que nunca foi de carnaval por timidez. Contudo, fez uma marchinha chamada “Guarda-Chuva de Pobre”, sucesso absoluto em 1955, gravada pelos Vocalistas Tropicais. Naquele carnaval choveu muito.

E vieram outras. Ouça mais essa, do ano seguinte, também gravada pelos Vocalistas Tropicais:

E como não lembrar da parceria dele com Arnaud Rodrigues, Baiano e os Novos Caetanos? Aliás, Caetano Veloso já contou que Chico Anysio escreveu para ele no exílio, em Londres, se oferecendo para intermediar junto ao governo brasileiro uma possível volta dele ao país. As músicas de Baiano e os Novos Caetanos pareciam ingênuas, porém, se lembrarmos que foram escritas no período da ditadura militar a coisa muda de figura:

Toda vez que falava de música, Chico Anysio citava o “Hino ao Músico”, parceria com Chocolate que virou abertura de seu programa. Se quiser relembrar, veja a apresentação da banda de Maranguape (CE), cidade natal de Chico:

Se eu continuar pesquisando e comentando com vocês não vou terminar nunca esse assunto. Assim como Chico Anysio jamais morrerá na memória desse país. Para colocar um ponto temporário nesta conversa, mais essa música:

Para falar com Cláudia Boëchat, escreva para claudia.boechat@rollingstone.com.br