Paulinho da Viola: 70 anos de pura poesia

Redação Publicado em 12/11/2012, às 10h33 - Atualizado às 12h27

Paulinho da Viola
Divulgação/Site oficial

Por Cláudia Boëchat

Há 70 anos nascia um cara que leva toda a delicadeza, elegância, simplicidade e sensibilidade de sua personalidade para o samba: Paulo Cesar Baptista de Faria. Único. Admirável.

Vida longa a Paulinho da Viola.

Portelense, circulou entre os sambistas da Mangueira – frequentando o já lendário bar Zicartola, de Cartola e D. Zica. Paulinho da Viola está onde o samba de boa qualidade está.

Sempre cantando baixinho, sem pressa, com emoção e um meio sorriso no rosto, é o que se pode chamar de artista completo. Compõe samba com partitura. Mas chega de falar dele. Vamos ouvi-lo.

É muito difícil escolher canções no repertório de Paulinho. Tudo é bom. Minha vontade era listar ao menos 70 sambas, um para cada ano de vida dele. Ou dois, ou três... Mas não dá pra fazer isso. Então, com um aperto no coração e cheia de dúvidas e indecisão, acabei selecionando essas dez. Tem composições mais belas dele? Sempre. Cada canção de Paulinho nos fala ao coração de uma maneira particular. É muita coisa linda para hierarquizar.

Eu não consigo hierarquizar poesia, sentimento, emoção. Vou listar o que me ocorrer agora. De qualquer forma, os comentários estão aí, abrindo a palavra a quem se lembrar desse ou daquele samba memorável de Paulinho e que não está nesta pobre lista. Será um precioso acréscimo. Já tinha postado aqui três músicas das quais gosto imensamente e que vale a pena rememorar, mas não vou repeti-las.

Ah, nessa playlist tem algo inusitado: não um samba e sim uma toada composta por Paulinho. Vamos lá:

1) “14 anos” (Paulinho da Viola):

2) “Zumbido” (Paulinho da Viola):

3) “Ruas Que Sonhei” (Paulinho da Viola), com Amélia Rabello:

4) “Cantando” (Paulinho da Viola):

5) “Cidade Submersa” (Paulinho da Viola):

6) “Perdoa” (Paulinho da Viola):

7) “Vinhos Finos… Cristais” (Capinan, Paulinho da Viola):

8) “Toada” (Paulinho da Viola):

9) “Ame” (Élton Medeiros e Paulinho da Viola):

10) “Meu Mundo É Hoje” (Wilson e José Batista):

Quem quiser conhecer um pouquinho mais sobre esse artista ímpar, pode assistir ao documentário a seguir. É lindo.

Parabéns, Paulinho da Viola! Felicidade, luz e muita poesia no seu caminho.

Para falar com Cláudia Boëchat, envie e-mail para claudia.boechat@rollingstone.com.br