Nada de Lobão Mau

Artista solta nota de esclarecimento a respeito da confusão com os organizadores do Lollapalooza Brasil

Redação Publicado em 21/11/2011, às 15h55 - Atualizado às 17h02

Lobão
Divulgação

A assessoria de imprensa de Lobão soltou uma nota de esclarecimento a respeito de todo o mal-entendido que aconteceu entre a produção do artista e os organizadores do Lollapalooza Brasil. Para quem não estava acompanhando, o artista havia proposto um boicote ao festival, alegando que as atrações nacionais estavam sendo desrespeitadas, sendo colocadas para tocar de manhã.

Nesta segunda, 20, foi realizada a coletiva que anunciou o line-up do festival, onde foi afirmado (“em tom de ironia”, segundo o comunicado) que os artistas brasileiros seriam intercalados com internacionais no line-up, e não necessariamente tocariam apenas de manhã e no início da tarde.

“O que nos entristece em toda a situação que se formou, é que novamente, se torna mais fácil vender a imagem do Lobão polêmico e lunático do que admitir a situação e dizer que vão corrigi-la”, diz o início do comunicado, que enumera alguns pontos:

“- O Lobão foi convidado a participar do evento e até então, toda a negociação correu normalmente.

- O músico, inclusive, se sentiu muito honrado com o convite, afinal, trata-se de um evento o qual ele admira.

- Durante todo o mês de novembro, diversos emails foram trocados para efetivar a participação do Lobão no evento, inclusive, a carta de intenção chegou a ser confeccionada e enviada ao seu agente Jorge Chamon.”

O texto segue afirmando que estava determinado que Lobão tocaria no dia 8 de abril, às 15h. Em seguida, o horário teria sido alterado sob a alegação de que todos os artistas brasileiros subiriam ao palco entre 10h e 15h. A informação, então, segundo ele, foi confirmada pelo empresário Sergio Peixoto, da GEO Eventos.

Porém, na coletiva realizada na pela Geo Eventos com a participação de Perry Farrell, fundador do Lollapalooza e vocalista do Jane's Addiction, foi informado, como dito acima, que artistas nacionais também tocarão em horários "nobres".

“O que Lobão não aceita é que os artistas nacionais sejam colocados como segundo plano e que não sejam tratados com o respeito que merecem”, diz outro trecho. “Se esta é a nova decisão do Lollapalooza, nós realmente ficaremos felizes em saber que finalmente as coisas podem começar a mudar no Brasil e que finalmente, mesmo que aos poucos, nossos artistas poderão ser reconhecidos com o valor que merecem.”

O texto ainda diz que o que não pode ser aceito “é que os organizadores do Festival Lollapalooza no Brasil não admitam a mudança e/ou reorganização de seu cronograma de apresentação e prefiram divulgar a imagem de um artista – que o próprio evento havia convidado – como um equivocado, só porque ele não concorda com a forma de apresentação estipulada.” No encerramento, Lobão lamenta “sua não participação num evento tão grande mundialmente, por conta de uma questão tão constrangedora”.