O que você prefere: ouvir “Bohemian Rhapsody” ou fazer sexo?

Aparentemente, o hit do Queen ganha essa disputa

redação Publicado em 27/10/2012, às 13h02

Freddie Mercury em 1985, em show em Sydney, na Austrália
AP

Alguma coisa nas melodias intrincadas de “Bohemian Rhapsody”, do Queen, faz com que as pessoas prefiram ouvir a música a fazer sexo. Pode parecer impensável, é bem verdade, mas quem garante isso é o psicólogo Daniel Mullensiefen, numa pesquisa realizada para o Spotify, empresa sueca que oferece um serviço de música digital.

O estudo vai além nesta ligação específica. Segundo Mullensiefen, 40% das pessoas sentem uma vontade a mais de ir para debaixo dos lençóis acompanhados por música.

Entre as preferidas, ainda segundo a pesquisa, o hit “(I’ve Had) The Time of My Life”, do filme Dirty Dancing – Ritmo Quente, de 1987, é o primeiro colocado. Algo relacionado com a lembrança das cenas de Patrick Swayze e Jennifer Grey? Talvez, mas isso o pesquisador não explica.

Praticamente um clichê nas playlists para os momentos mais calientes, “Sexual Healing”, de Marvin Gaye, ficou em segundo lugar na lista.

Além de “Bohemian Rhapsody”, o estudo ainda aponta outras canções como “melhores do que sexo”. São elas “Sex on Fire”, do Kings of Leon, e “Angels”, de Robbie Willians.

O hit do Queen é, sem dúvida, um dos maiores do rock. Uma grande e potente ópera rock, que mostra a capacidade do vocalista Freddie Mercury para criar paredes sonoras com gravadores de poucos canais, refrãos imagéticos e mil vozes com apenas poucas. Mas, cá entre nós, a redação da Rolling Stone Brasil não acredita muito na pesquisa que diz ter entrevistado duas mil pessoas. Então, faremos nossa pesquisa com vocês, leitores. Ouça o trio de músicas abaixo e nos diga: e aí, ficou mais saciado do que deveria?

“Bohemian Rhapsody”, do Queen

“Sex on Fire”, do Kings of Leon

“Angels”, de Robbie Williams