Pesquisa aponta influência de vitamina D na guerra de O Hobbit

Carência causada por falta de sol pode explicar desfecho da trama de J.R.R. Tolkien

Redação Publicado em 16/12/2013, às 14h49 - Atualizado às 15h13

Gollum
Reprodução

Você pode até achar que Bilbo Bolseiro e seus colegas elfos, anões e afins sagram-se vitoriosos na trama criada por J.R.R. Tolkien porque, afinal de contas, o bem sempre vence no final. Mas ficaria surpreso se existisse uma explicação científica para isso: os vilões de O Hobbit são carentes de vitamina D.

A tese foi criada pelo professor Nicholas Hopkinson, do Imperial College de Londres, em parceria com o filho estudante, Joseph, e apresentada na edição de Natal da publicação científica Medical Journal of Australia. Em O Hobbit: Uma Deficiência Inesperada, os dois exploram as evidências de que “a taxa de vitamina D foi significantemente maior entre os personagens bons e vitoriosos do que nos personagens maus e derrotados”.

Ciência a (des)serviço do entretenimento: relembre dez pesquisas inúteis.

Os dados foram colhidos a partir das descrições feitas por Tolkien no romance publicado originalmente em 1937. Segundo os resultados, os vilões da história sofrem de carência de vitamina D não apenas por causa da dieta, mas também porque muitas vezes se escondem do sol, e os raios ultravioleta são essenciais na obtenção da vitamina. É o que acontece com Gollum, por exemplo. Bilbo, por sua vez, embora viva em uma toca, tem janelas e gosta de tomar sol, segundo a descrição do autor, além de comer diversos tipos de alimento.

O Hobbit: A Desolação de Smaug acelera a aventura, acrescenta um dragão e apresenta novos heróis.

A diferença explicaria a vitória dos personagens bonzinhos, já que a vitamina D é essencial para a saúde de ossos e músculos. Os responsáveis pela pesquisa, contudo, alertam: “É necessário novos trabalhos para analisar se estes resultados podem ser extrapolados para outras situações fantásticas”.