Salvador Dalí vendeu um fio de bigode falso para Yoko Ono por US$ 10 mil

História foi contada por ex-amante e aluna do pintor surrealista

Redação Publicado em 29/11/2012, às 15h43 - Atualizado às 15h52

Salvador Dalí
AP

Essa parece ter saído daquelas fábulas que as vovós contam para os netos, para evitar que eles caiam no tal conto do vigário. E se chamaria: Yoko Ono, Salvador Dalí e o conto do bigode falso. Mas, nesse caso, a história parece ser real, como contou a revista francesa VSD na edição publicada nesta quinta-feira, 29.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Os protagonistas, neste caso, são Yoko Ono, a eterna viúva de John Lennon e artista plástica, e o pintor surrealista Salvador Dalí. E envolve um fio de bigode falso.

Nada aconteceu em um “reino muito, muito distante”. Quem contou a história foi a ex-aluna e ex-amante de Dalí e também cantora Amanda Lear. Segundo ela, o pintor vendeu um fio do seu famoso bigode (aquele com as pontas apontando para o alto) por US$ 10 mil.

“A idiota pagou US$ 10 mil. Dalí gostava de enganar as pessoas”, disse Lear à revista. Segundo ela, foi difícil para o pintor resistir à ideia de ganhar dinheiro fácil. E, em uma artimanha que colocaria o trambiqueiro Sawyer, do seriado Lost, ele pediu para a amante ir ao jardim, escolher uma erva seca e entregou para Yoko em um embrulho elegante.

Ela conta que Dalí achava que a viúva de John “era uma bruxa e temia que ela o enfeitiçasse”. E a inocente Yoko caiu direitinho no golpe. E a lição aprendida, talvez, seja: “nunca confie em um pintor surrealista”. Recado anotado.