Pulse

Dupla Dirtyloud faz versão dubstep de música do Fresno; conheça a nova “À Prova de Balas”

Faixa está presente em disco de remixes lançado pela banda gaúcha em agosto

Pedro Antunes Publicado em 21/08/2014, às 15h14 - Atualizado às 15h18

Dirtyloud
Divulgação

Por Pedro Antunes

As batidas já eram pesadas, com graves percussivos dialogando diretamente com os agudos da voz desesperada de Lucas Silveira. A dupla Dirtyloud, contudo, levou tudo para profundezas ainda mais escuras e tortas no liquidificador que é o dubstep. “À Prova de Balas” foi lançada pela banda gaúcha EP Eu Sou a Maré e, agora, ganhou uma nova roupagem em Eu Sou a Maré: Remixes. Ouça no player abaixo.

Em entrevista ao Sobe o Som, Eduardo Nascimento, metade da dupla mineira, explicou que o convite para participar do projeto veio do próprio vocalista do Fresno – ele, mesmo, já lançou um projeto de música eletrônica chamado SIRsir. “Foi um desafio e tanto porque EDM com vocais em português não é uma coisa recorrente”, diz Nascimento. “Achei a faixa original bem pesada e muito bem trabalhada, o que tornou a assimilação muito fácil.”

Das cinco músicas do EP original, três foram ganharam remixes: a já citada “À Prova de Balas”; “Manifesto”, feito pelo Modern Dealer; e “O Único a Perder”, com Ftampa. “Troquei varias com o Ftampa] figurinhas na hora de fazer o remix”, conta o DJ e produtor do Dirtyloud.

A sugestão pelo dubstep foi feita pelo próprio vocalista do Fresno, conta nascimento. “A única coisa que o Lucas pediu foi que o remix fosse bem pesado”, diz Nascimento. “Exagerei nos synths rasgados, wobbles e distorção. Também abusei dos synths atmosféricos nas partes mais calmas, tudo para deixar a musica com a nossa cara”, continuou.

O Dirtyloud já fez remixes de nomes gigantes do pop, como Yoko Ono (“Hold Me”), Calvin Harris (“Sweet Nothing”) e, mais recentemente, Shakira (“Dare (La La La)”). “Tudo começa quando o próprio artista ou a gravadora nos procura. Em seguida, recebemos os pedaços da musica isolados e substituímos os instrumentos originais pelas nossas criações, e é aí que começa a diversão”, conta Nascimento. “Gosto de ouvir a música original exaustivamente, internalizá-la, capturar a alma da música e aí então a hora de recriá-la.”

Ouça o remix do Dirtyloud para “À Prova de Balas”: