Pulse

Exclusivo: Caio Falcão e Um Bando mostra lado torto do álbum samba e rock Tudo Verde com "Signo"

Banda paulistana divulga ainda em junho deste ano o primeiro disco

Lucas Borges Publicado em 02/06/2015, às 16h25 - Atualizado às 20h35

Do meio para a direita, Caio Falcão, Charles Tixier e Leonardo Sogabe
Reprodução

por Lucas Borges

A lógica válida para certos tipos de bebidas alcoólicas não tem nenhuma ligação com a música, mas para Caio Falcão e um Bando, o tempo entre gravação e lançamento do primeiro disco do grupo fez muito bem.

Sobe o Som: 10 novos artistas nacionais que você deve conhecer

Caio Falcão, o vocalista e produtor executivo - com as mãos abertas na foto acima -, se reuniu com seu bando - Charles Tixier, Léo Sogabe, Rodrigo Salles, Edu Marmo, Willian Tocalino, Thiago Nassif, Pedro Falcão, Laura Diaz, Gaivota Naves e André Sztutman, alguns fixos, outros não - em maio de 2013. Em agosto, eles já estava produzindo as primeiras canções de Tudo Verde, como bem define o líder, um caminho entre samba e rock, às vezes misturando-os, às vezes, não.

Exclusivo: Mohandas celebra vida simples e alteridade com o clipe de “Your Eyes”.

Um cargo com produção de vídeo – profissão que ele segue exercendo – em uma multinacional, porém, afastou Caio da música e só em junho deste ano o trabalho deve chegar ao público, ainda que muitas das faixas sejam conhecidas por quem frequenta casas noturnas alternativas de São Paulo.

Perto da estreia, Selo Risco põe músicos independentes para brigarem com os “grandes”.

“Acabou sendo um tempo de depuração. Eu nunca tinha produzido nenhum disco, não sabia como eram os processos. Foi um processo de aprendizado também. Foi tranquilo, ninguém ficou aflito nem nada”, diz ele.

A calma transparente nas palavras e no tom de voz do cantor ao telefone não combinam com a dramaticidade imposta por ele em letras como a do rock “Signo”, faixa divulgada com exclusividade ao Sobe o Som. “Eu sou uma pessoa que parece ser tranquila...Mas não sou muito, não [risos]. A musica é justamente o lugar onde eu consigo expressar essa coisa irada”.

Ouça "Signo":

"'Signo' é a faixa mais experimental do disco. Gravamos uma vez e senti que estava sem graça. Sugeri voltar e tocar tudo errado. Fizemos essa experiência e misturamos esses dois toques, um é tocando normal e o outro é fazendo a coisa mais torta que a gente conseguia".

Escute também Kung Futebol:

Os fãs que apoiaram o financiamento do projeto pela internet provarão de Tudo Verde nos próximos dias e o álbum logo estará disponível na íntegra pela internet. Em breve, a banda deve anunciar as datas dos shows do disco, em São Paulo, no Rio de Janeiro – onde foi realizada, no estúdio de Dado Villa-Lobos, parte da gravação – e em mais destinos nacionais.

Enquanto isso, os conterrâneos paulistanos podem, de repente, se deparar com amostras grátis de Caio Falcão e Um Bando. O grupo já se apresentou na rua anteriormente em São Paulo e pretende repetir a dose. “Quando a gente faz show na rua, atrai um público diferente do das casas noturnas. Principalmente nesse momento que estamos, da criação de públicom isso é indispensável”.