Pulse

Exclusivo: conheça “Anybody But You”, elegante e minimalista canção de Lara e os Ultraleves

Primeiro disco do projeto da paulista Lara Aufranc será lançado em setembro

Thiago Neves Publicado em 27/08/2015, às 12h56 - Atualizado em 28/08/2015, às 16h58

Capa do disco Em Boa Hora, do grupo Lara e os Ultraleves.
Divulgação

por Thiago Neves

“Anybody But You”, single da paulista Lara e os Ultraleves é, sobretudo, elegante. Deixando de lado arranjos instrumentais, a canção traz a voz de Lara Aufranc, quase solitária, guiando a letra com invejável destreza. Ao fundo, os vocais do grupo Mustache e os Apaches criam o alicerce para que a vocalista principal brilhe na simples e cativante canção.

Sobe o Som: 10 novos artistas nacionais que você deve conhecer.

“Eu sempre crio as melodias na voz. Tenho o hábito de cantar quando estou cozinhando, dirigindo ou mesmo andando e assobiando na rua. Então, eu gravo as ideias no celular e depois escrevo uma letra pra essa melodia”, conta Lara.

Mais no SoS: Los Porongas apresenta a música “Morrenasce”.

Composta pela cantora, “Anybody But You” foi gravada em um único dia e exigiu que os músicos lapidassem a melodia criada por Lara. “Eu gravei uma voz guia e então separamos por característica vocal: de um lado os mais graves e, do outro, médios e agudos. Fomos testando ideias diferentes, gravava uma vez fazendo de um jeito, depois de outro e de outro. E o Fabio Piczowski (produtor) ia coordenando, organizando tudo” explica a vocalista.

Curumin fala da libertação das prisões artísticas e credita sobrevivência à internet

“Anybody But You” é o segundo single de Em Boa Hora, álbum de estreia do projeto. Gravado em São Paulo e com produção de Fabio Piczowski, o registro deve chegar às lojas em setembro e tem participações das cantoras Laura Wrona, Camila Garófalo e Irina Bertolucci (Garotas Suecas), além do grupo Mustache e os Apaches.

"O novo disco tem esse amor pela música negra americana, que é bem presente em ‘Anybody But You’. Mas também entraram outros gêneros, que têm a ver com outras coisas que eu adoro, como por exemplo os discos de 69 e 71 do Gilberto Gil ou as experimentações sonoras do Tom Waits. Não tem porque restringir a criação a um estilo puro, isso não faz sentido pra quem vive numa metrópole em 2015”, finaliza a cantora.

Assista com exclusividade ao clipe de “Anybody But You”