Guizado revela “Toro”, faixa agressiva e orgânica do terceiro disco

Trompetista fala sobre influências orientais em O Voo do Dragão

Lucas Brêda Publicado em 10/03/2015, às 17h11 - Atualizado em 16/03/2015, às 17h17

Guizado
Patricia Araujo

Por Lucas Brêda

Passagens instrumentais arrebatadoras não são novidade na obra de Guilherme Mendonça, o Guizado. No terceiro disco dele, O Voo do Dragão – que sai entre abril e maio –, entretanto, o músico abre ainda mais espaço para a experimentação, em uma volta à atmosfera de Punx (2008), elogiado álbum de estreia. Conheça, com exclusividade no Sobe o Som, mais um single do novo disco de Guizado, “Toro”.

Mais no SoS: Trombone de Frutas toca “Brastempp” e faixa inédita; assista

“Acho que estou mais mergulhado na improvisação, na relação do som com a banda”, diz o trompetista, notando que, no registro, apenas duas músicas têm partes cantadas. “Sinto que é um amadurecimento – gosto mais de trabalhar com cantores do que cantar mesmo”. Guizado já colaborou com Jorge Du Peixe, Curumin, Karina Buhr, Céu, entre outros.

“Quero abrir esse caminho de levar a música instrumental para um público maior, e também para um público mais jovem, que não está acostumado com esse gênero”, acrescenta. “A ideia é quebrar esse paradigma de que música instrumental é só para os ‘iniciados’, um segmento mais fechado.”

Conheça a carnavalesca “Caia em Si”, do Alaídenegão.

Para criar um instrumental que alcance esse público “que não está acostumado” com o estilo, Guizado se apoia em composições dinâmicas e oblíquas, que abrem espaço para arranjos dos mais diversos – mas não incoerentes –, com momentos bem delimitados. No primeiro single revelado de O Voo do Dragão, “Tigre”, ele explora a música eletrônica de maneira intensa, dando contornos de mistério à faixa.

“Tenho sido influenciado pela cultura oriental”, revela o músico, rindo sobre a coincidência da presença de animais e símbolos nos títulos das faixas e do disco. “Livros como A Arte da Guerra, do Sun Tzu, filmes como Operação Dragão, do Bruce Lee, Ghost Dog – que não é exatamente oriental... Estou muito envolvido neste universo.”

Atalhos mostra folk “torto” em “José, Fiquei Sem Saída”

“Toro”, por sua vez, figura como nona faixa em O Voo do Dragão e é “uma outra ponta da coisa”, como revela Guizado. “Não usamos nenhum eletrônico, é um som de banda mesmo.” A música foi gravada ao vivo, em apenas um take, com acabamento pouco refinado.

A faixa é agressiva e orgânica desde os primeiros momentos, com guitarras barulhentas e o trompete característico e decisivo de Guizado entrando no decorrer da música.

Conheça “Toro”, nova faixa do Guizado, abaixo

Ouça também o primeiro single de O Voo do Dragão, “Tigre”, e os dois primeiros discos de Guizado.