Orquestra Brasileira de Música Jamaicana traz suingue para canção-manifesto “Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores”

Música de Geraldo Vandré se tornou um hino contra a ditadura após ser exibida no Festival da Canção da TV Record em 1968

Pedro Antunes Publicado em 28/10/2014, às 08h38 - Atualizado às 08h58

Orquestra Brasileira de Música Jamaicana
Divulgação

Pedro Antunes

O grito de resistência da população contra a ditadura militar no Brasil ganhou palavras singelas através dos versos de Geraldo Vandré, exibidos em rede nacional no Festival da Canção da TV Record, em 1968. Não ganhou, perdendo o primeiro lugar para "Sabiá", de Tom Jobim e Chico Buarque, mas formou uma onda otimista que voltou a acender os ânimos para os duros anos que viriam a seguir.

O Sobe o Som, espaço dedicado à música alternativa no site da Rolling Stone Brasil mostra com exclusividade o encontro do protesto velado e poético de Vandré com a musicalidade suingada da sempre dançante A Orquestra Brasileira de Música Jamaicana (OBMJ), com participação de Buia Kalunga, do Ba-Boom.

O frescor da OBMJ fez bem a canção de Vandré – principalmente porque os versos “Vem, vamos embora, que esperar não é saber / Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, nunca pareceram tão atuais.

Assista ao vídeo no player abaixo: