Pulse

Exclusivo: Tulipa Ruiz lança compacto com remixes criados por Rica Amabis e Daniel Ganjaman

EP Tulipa Remixes traz novas versões das músicas "Aqui" e Víbora"

Pedro Antunes Publicado em 24/06/2014, às 15h07 - Atualizado às 15h26

Tulipa Ruiz
Rodrigo Schmidt/Divulgação

Por Pedro Antunes

“Sempre quis ver o resultado de uma pessoa pegando uma música minha e a refazendo na forma dela”, diz Tulipa Ruiz para explicar a criação do compacto Tulipa Remixes, lançado com exclusividade pela Rolling Stone Brasil nesta terça-feira, 24. Mas o trabalho não deveria soar ou parecer leviano em sua proposta e, por isso, justifica a cantora, foram convocados Rica Amabis e Daniel Ganjaman. “Queria que também fosse com um produtor que eu admiro”, diz ela. “Já fizemos colaborações e era inevitável chegar ao nome dos dois”.

Melhores de 2012: artistas falam sobre suas músicas. Tulipa Ruiz, com “Dois Cafés”, está entre as selecionadas.

O compacto Tulipa Remixes, lançado pela Pommelo Distribuições, traz nova luz à duas das melhores músicas dos discos de Tulipa: “Aqui”, do pop Efêmera (2010), e a densa “Víbora”, do encorpado Tudo Tanto (2012).

Cada faixa integra o lado A e B, com os bons e velhos EPs. E o espírito é bem esse mesmo. “Aqui” e “Víbora”, nas versões originais, contrastavam como luz e escuridão quando ouvidas em sequência, mas a primeira delas já apontava para direção de complexidade sonora e peso que seria ouvido dois anos depois, no segundo álbum de Tulipa. As faixas foram escolhidas a dedo pela cantora e pelo irmão e produtor Gustavo Ruiz.

O trabalho de Amabis e Ganjaman serviu para ampliar ainda mais a estética já bastante livre de Tulipa. “Fiquei muito contente com as versões deles”, analisa ela. “Cada um não deixou o seu universo de lado.”

Amabis sacou a guitarra de abertura da “Aqui” original e ainda chamou o rapper BNegão para versar em uma participação especial. Já “Víbora”, cuja origem assustou Tulipa quando surgiu, por ser “barra pesada demais”, parece ser expandida quando ingressou no universo de Ganjaman, com mais guitarras e efeitos. A própria voz de Tulipa, nessa versão, é ampliada sem medo – e o resultado não poderia ser mais satisfatório.

Tulipa Remixes será um artigo para colecionadores e fãs da cantora e funcionará, ao lado do single “Megalomania”, como o resultado da entressafra de discos dela, pós-Tudo Tanto. “Tem coisas que acontecem durante a turnê que não fazem parte de um novo trabalho”, diz ela sobre o lançamento avulso de “Megalomania”, cujo clipe sairá em breve, com participações em vídeo dos fãs dela, mostrando momentos “megalomaníacos”.

Urbanidade sonhada. No segundo disco, Tudo Tanto, Tulipa Ruiz deixa o pop florestal de lado e devaneia na cidade.

No próximo mês, Tulipa e banda viajam para mais uma turnê na Europa e, no primeiro semestre de 2015, ela, Gustavo Ruiz e companhia voltam ao estúdio para trabalhar no terceiro álbum. “Vou viver Tudo Tanto até o último segundo e aí então vou pensar em um novo disco”, diz ela. “Tudo o que acontece de inspiração e coisa nova eu vou deixando meio de lado. Só vou mexer com isso mais para frente.”

Ouça “Aqui” (remix de Rica Amabis e participação de BNegão)

Ouça “Víbora” (remix de Daniel Ganjaman)