Pulse

Tiê e outras artistas "doam" 30% do tempo de suas músicas para campanha contra a desigualdade salarial; entenda

As canções são interrompidas com 70% do conteúdo para chamar atenção para o fato de que, no Brasil, homens ganham 30% a mais que mulheres pelo mesmo trabalho

Redação Publicado em 30/03/2017, às 13h47 - Atualizado às 13h54

Tiê
Divulgação

Hoje, as mulheres ganham em média 30% a menos do que os homens para fazer o mesmo trabalho e, segundo o mais recente Relatório Global de Desigualdade de Gênero do Fórum Econômico Mundial, serão necessários mais 170 anos para colocar fim à desigualdade de gêneros no aspecto econômico.

Para chamar atenção a esse problema, Tiê, Daniela Mercury e Valesca Popozuda "doaram" 30% de músicas delas para a campanha #MaisQue70, da ONG AzMina. A ideia é protestar contra diferença salarial entre homens e mulheres no Brasil.

Na ação, as músicas das cantoras são interrompidas com 70% do tempo de reprodução em diversos canais (TV, rádio, YouTube, redes sociais e Spotify). Em seguida, é divulgada uma mensagem explicando que elas estão "doando" 30% do tempo da canção como forma de protestar contra a diferença salarial entre homens e mulheres. Veja abaixo.

No ranking de desigualdade de gênero divulgado também pelo Fórum Econômico Mundial, o Brasil ocupa hoje a 79ª posição entre os 144 países avaliados – sendo o pior colocado entre as grandes economias da América Latina.