Will Butler, do Arcade Fire, planeja compor faixas inspiradas em manchetes do The Guardian

Projeto faz parte do lançamento de Policy, primeiro trabalho solo do músico

Redação Publicado em 23/02/2015, às 13h11 - Atualizado em 24/02/2015, às 16h14

Galeria - Matérias do Lollapalooza 2014 - Arcade Fire 2
Divulgação

Will Butler - irmão de Win Butler, vocalista do Arcade Fire - vai divulgar Policy, primeiro disco solo dele, no dia 10 de março. Um protocolar lançamento, no entanto, não é bem o perfil do multiinstrumentista.

Edição 90 (perfil) – Arcade Fire: o fogo que não se apaga.

A partir desta segunda-feira, 23, Butler vai sentar-se com o The Guardian (até o dia de divulgação de Policy) para criar canções baseadas nas manchetes do jornal, que serão lançadas pelo próprio periódico. Ao falar sobre o projeto, o músico admitiu que as músicas do início da carreira de Bob Dylan o influenciaram na tentativa de escrever faixas diariamente.

Selecionamos as melhores covers feitas pelo Arcade Fire durante a turnê Reflektor.

“A ideia foi parcialmente inspirada em Bob Dylan, que costumava anunciar que certas canções eram baseadas em manchetes jornalísticas”, afirmou Butler. “Seria uma música que ele escreveu em mais ou menos em duas semanas, assim como ‘The Lonesome Death of Hattie Carroll’, umas das melhores faixas de todos os tempos”.

O músico afirmou que o projeto diário vai testar a habilidade dele de lançar novas canções em um ritmo mais rápido do que o usual. Enquanto é impossível premeditar as notícias do dia seguinte, Butler tem lido os jornais para projetar possíveis ideias de letras e melodias, deixando de lado faixas extremamente literais.

Arcade Fire volta com mistura de influências no épico duplo Reflektor.

“Tenho lido o Guardian todos os dias, explorando todas as seções. Algumas delas me direcionam a canções possíveis. É um processo cruel, às vezes leio alguma coisa e penso, ‘poderia fazer algo muito substancial com essa história’”, afirmou Butler. “O julgamento de Dominique Strauss-Kahn, por exemplo, é algo deformado neste mundo, mas muito interessante. Ou quando se lê uma manchete na seção de ciência que diz ‘O universo é muito maior do que se imaginava’. Tudo isso é muito belo.”.