A Lagoa Azul: Brooke Shields comenta sexualização na adolescência: 'Tinha que manter minha mãe viva'

Brooke Shields ficou conhecida pelos papéis em A Lagoa Azul e Menina Bonita

Redação Publicado em 23/11/2021, às 10h02 - Atualizado em 28/11/2021, às 14h30

None
Brooke Shields em A Lagoa Azul | Brooke Shields no Instagram (Fotos: Reprodução)

Conhecida pelo papel em A Lagoa Azul (1980), a atriz Brooke Shields iniciou a carreira muito jovem. Aos 11 anos, interpretou uma criança prostituta em Menina Bonita (1978). Anos após, aos 16, foi responsável por estampar uma série de propagandas de marcas famosas em que a artista foi sexualizada. Agora, aos 56 anos, comentou sobre as dificuldades da adolescência e como lidou com todas essas questões. 

Ao The Guardian, explicou sobre como não "destruiu a carreira" na época: "Não sei porque não fiz isso. Falo muito sobre isso na terapia [...] Eu tinha que manter minha mãe viva. O ponto focal, para mim, foi mantê-la viva, porque éramos nós duas sozinhas no mundo," via UOL.

+++LEIA MAIS: Como estão os atores de Lagoa Azul, clássico da Sessão da Tarde

Segundo relata o UOL, a mãe da atriz, Teri, viveu uma infância humilde em Nova Jersey. No entanto, mais tarde, tornou-se uma socialite de Manhattan. Após um breve relacionamento, engravidou de Brooke Shields e depois de enfrentar um divórcio, Teri virou alcoólatra. Na época, a protagonista de Lagoa Azul tinha cinco meses. 

"Ela teve um bebê que parecia assim, e foi assim que sobrevivemos [...] Minha aparência pagava as contas. Eu simplesmente amei a aprovação. E adorei trabalhar e adorei estar no set. Nós nos divertimos, viajamos para todos os lugares," revelou.

+++LEIA MAIS: 40 anos de Lagoa Azul: Confira 5 curiosidades sobre o clássico da Sessão da Tarde

Ela acrescentou: "Não era como se eu sentisse a responsabilidade tanto quanto: 'Meu Deus, vamos conseguir um carro. Oh, nós compramos uma casa. Compramos outra casa.' Tipo, se eu fizer isso, nós pegamos isso. Foi assim por décadas."

Ainda, reforçou que não fez nada por um comportamento agressivo da mãe ou por obrigação. Ela contou: "Enquanto eu estava feliz, nós continuamos fazendo isso. Eu nunca fiz nada que não queria fazer." Posteriormente, encerrou as atividades como atriz por tempo determinado para cursar uma graduação na Universidade de Princeton.

+++ LEIA MAIS: Madonna elogia posicionamentos de Billie Eilish sobre sexualização: 'Mulheres deveriam poder se portar como quiserem'