Alec Baldwin publica carta da equipe Rust e nega alegações sobre local de trabalho 'caótico'

“Estamos sofrendo com a perda de nossa união, nosso espírito e de nosso trabalho," diz a carta compartilhada por Baldwin nas redes sociais

Daniel Kreps, Rolling Stone EUA Publicado em 09/12/2021, às 17h09

None
Alec Bladwin (Foto: Mark Sagliocco/Getty Images for National Geographic)

Alec Baldwin postou uma carta aberta escrita por integrantes da equipe do filme Rust, a qual defendeu os produtores e negou descrições supostamente “falsas” da filmagem antes da morte acidental da diretora de fotografia Halyna Hutchins.

A carta, que não foi "sancionada ou influenciada de forma alguma pelos produtores", foi escrita porque alguns membros da equipe dizem que "acreditam que a narrativa pública em torno da tragédia no local de trabalho é inadequada e desejam expressar um relato mais preciso da experiência.”

+++ LEIA MAIS: Alec Baldwin descreve momento exato do disparo que matou Halyna Hutchins: 'Tudo é direção dela'

“Estamos sofrendo com a perda de nossa amiga e colega Halyna Hutchins. Ela estava, em muitos aspectos, no centro de nossa produção, e perdê-la machucou cada um de nós. Estamos sofrendo com a perda de nossa união, de nosso espírito e de nosso trabalho. Estamos sofrendo por nossos amigos que foram visados ​​pelo público, pois eles próprios sofrem,” afirma a carta.

O documento continua: “Infelizmente, na indústria do cinema, é comum trabalhar em produções pouco profissionais ou caóticas para ganhar experiência e créditos. Muitos de nós trabalhamos nesse tipo de produção. Rust não era uma delas. Rust era profissional. Reconhecemos que nenhum set é perfeito e, como qualquer produção, Rust tinha áreas de brilho e áreas que eram mais desafiadoras.”

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Alec Baldwin (@alecbaldwininsta)

 

+++ LEIA MAIS: Rust: Alec Baldwin admite que carreira pode ter acabado após acidente fatal

Embora as condições estabelecidas estivessem entre as questões apontadas pela mídia nos dias seguintes ao incidente - alguns integrantes da equipe deixaram a produção devido supostas longas horas de trabalho e reclamações - a carta aberta afirma que a filmagem não foi “caótica, perigosa e em local de trabalho de exploração”, como tem sido retratado.

“Embora seja verdade que alguns membros da equipe desistiram antes do acidente, a grande maioria de nós permaneceu, e nunca sentimos a necessidade de protestar ou desistir. Estávamos gostando de nosso local de trabalho. Esses poucos descontentes não representam as opiniões de todos nós ”, afirma a carta, alegando que os rumores sobre o cenário do filme distraem“ a memória de Halyna Hutchins e a necessidade de encontrar alternativas modernas para armas de fogo obsoletas e práticas de segurança da indústria.”

+++ LEIA MAIS: Rust: Alec Baldwin e outros são processados por profissional da equipe após acidente fatal; entenda

Entre os que assinaram a carta aberta estavam integrantes do departamento de som do filme, o designer de produção Bryan Norvelle, cabeleireiro de Rust e outros membros da equipe não listados na página do filme no IMDb. Nenhum dos atores principais do filme assinou a carta (incluindo Baldwin, também produtor do longa), nem o diretor Joel Souza, que também se feriu quando a arma de apoio disparou no set do Novo México, EUA.

“A moral de trabalho no set estava alta. Risos e otimismo eram comuns entre o elenco e a equipe. Do diretor aos assistentes de produção, todos os departamentos trabalharam bem juntos, colaborando e ajudando uns aos outros a atingir objetivos artísticos comuns," afirma a carta. “Tínhamos consciência de que estávamos produzindo um bom trabalho; capturando belas imagens e ótimas performances, e estamos orgulhosos de estar fazendo isso. O trabalho foi árduo, mas significativo.”

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Alec Baldwin (@alecbaldwininsta)

 

+++ LEIA MAIS: Alec Baldwin quer policiais em sets de filmagem para monitorar uso de armas

A investigação sobre a morte de Hutchins foi supostamente centrada no diretor assistente do filme, Dave Halls, bem como a armeira Hannah Gutierrez-Reed, cujos advogados anteriormente culparam os produtores de Rust pela filmagem que foi "insegura devido a vários fatores, incluindo a falta de reuniões de segurança.”

A carta aberta nega especificamente as alegações, afirmando que “em nossa experiência, os produtores e gerentes de produção apoiaram nossos esforços. Eles estavam no set diariamente e interagiam com a equipe, compartilhando o mesmo processo criativo. Sentimos que não estávamos trabalhando apenas para eles, mas com eles. Eles aproveitaram as reuniões de segurança para discutir toda e qualquer segurança ou outras preocupações.”

+++ LEIA MAIS: Alec Baldwin fala sobre morte acidental de Halyna Hutchins: 'Ela era minha amiga'

“A arma deveria estar vazia"

Na semana passada, Baldwin sentou-se para sua primeira entrevista diante das câmeras desde o incidente, na qual ele alegou que não puxou o gatilho antes da arma disparar. Como produtor do filme, o ator enfrenta dois processos movidos pelos membros da equipe Serge Svetnoy e Mamie Mitchell.

“A arma deveria estar vazia. Disseram-me que recebi uma arma vazia ”, afirmou. “A noção de que havia uma bala real naquela arma não me ocorreu até provavelmente 45 minutos a uma hora depois.”

+++ LEIA MAIS: Alec Baldwin: Filha do ator tem recebido ameaças e mensagens de ódio

Baldwin acrescentou na entrevista: “Eu sinto... que alguém é responsável pelo que aconteceu. E não posso dizer quem é, mas sei que não sou eu. Quer dizer, para ser honesto com Deus, se eu achasse que era o responsável, poderia ter me matado. E eu não digo isso com leveza.”