Amor, Sublime Amor: Filme de Steven Spielberg decepciona e tem baixa bilheteria nos EUA

Desempenho de Amor, Sublime Amor é prejudicial devido ao alto orçamento

Redação Publicado em 13/12/2021, às 09h52 - Atualizado em 14/12/2021, às 16h24

None
Amor, Sublime Amor (Foto: Divulgação / 20th Century Fox)

O remake de Steven Spielberg para o clássico musical da década de 1960, Amor, Sublime Amor decepcionou bastante em bilheteria, com uma arrecadação baixíssima na estreia; o filme acumulou apenas US$ 10,5 milhões (cerca de R$ 59 milhões) nos cinemas estadunidenses, via G1.

Com o retorno, o desempenho do longa-metragem é prejudicial, isso porque a Disney e a 20th Century Studios apostaram em um alto orçamento, US$ 100 milhões, para reviver a história sob a ótica de Steven Spielberg, quem faz sua estreia com os musicais, sendo o primeiro do gênero a integrar a filmografia do cineasta.

+++LEIA MAIS: Remake de Amor, Sublime Amor: trailer, estreia e tudo que sabemos sobre filme dirigido por Steven Spielberg [LISTA]

Agora, resta esperar os desdobramentos do lançamento, com Amor, Sublime Amor tentando sobreviver nas bilheterias em meio à conturbada temporada de fim de ano e do Oscar, via G1. Apesar de a arrecadação ser muito baixa e ruim, o filme foi aclamadíssimo pela crítica especializada.

De fato que, desde o retorno gradual dos cinemas devido à pandemia de covid-19, os filmes encontram dificuldade em atrair espectadores; por isso, inclusive, muitos estúdios estão apostando em lançamentos híbridos, com títulos chegando às salas de exibição e ao streaming simultaneamente. 

+++LEIA MAIS: Amor, Sublime Amor: Por que Steven Spielberg quis fazer remake do filme?

Amor, Sublime Amor foi lançado exclusivamente nos cinemas - e o retorno é preocupante, especialmente por ser uma das narrativas mais amadas entre os filmes musicais e sob comando de um dos cineastas mais aclamados de todos os tempos. Em comparação, o G1 cita Em um Bairro de Nova York, o qual, com lançamento híbrido na HBO Max, alcançou US$ 11,5 milhões na estreia.

"No passado, nós vimos musicais se conectarem com críticos e com o público e ficarem muito tempo em cartaz. Mas isso aconteceu no passado. As condições para que o público vá aos cinemas seguem prejudicadas. Se Amor, Sublime Amor quiser ter lucro, precisa ir bem tanto internacionalmente quanto nacionalmente," comenta David A. Gross, responsável pela consultoria de cinema Franchise Entertainment Research.

+++LEIA MAIS: Amor, Sublime Amor: primeiras reações consideram musical extraordinário: ‘É Spielberg de primeira linha’


Tudo sobre Amor, Sublime Amor

Cerca de 60 anos depois da primeira adaptação nos cinemas, Amor, Sublime Amor ganhou uma nova versão estrelada por Ansel Elgort e Rachel Zegler, com direção de Steven Spielberg. O musical chega aos cinemas brasileiros em 9 de dezembro.