Angelina Jolie revela que temeu pela segurança da 'família inteira' durante casamento com Brad Pitt; entenda

Em meio à batalha judicial pela guarda dos filhos, Angelina Jolie revela por que o divórcio foi importante para ela discutir os direitos humanos

Redação Publicado em 04/09/2021, às 15h00 - Atualizado em 06/09/2021, às 16h30

None
Angelina Jolie (foto: Invision/AP) e Brad Pitt no Globo de Ouro 2020 (Foto: Jordan Strauss / Invision / AP)

Um dos casais mais querido de Hollywood, Brad Pitt e Angelina Jolie está legalmente separado desde 2016, e os dois estão em batalha judicial pela guarda dos filhos. Agora, a atriz explicou por que o divórcio é uma questão de direitos humanos, ressaltando a importância da proteção das crianças. 

Jolie, 46, escreveu um livro com a advogada dos direitos da criança Geraldine Van Bueren QC, chamado Know Your Rights ("Conheça seus direitos," em tradução livre). A obra busca descrever todos os direitos que as crianças têm de acordo com a convenção da ONU, aconselhar e discutir a urgência de que estes direitos sejam garantidos. 

+++ LEIA MAIS: Angelina Jolie quer a expulsão de juiz no caso do divórcio com Brad Pitt; entenda

Em entrevista ao The Guardian, a atriz afirmou: "Tive uma experiência nos Estados Unidos com meus próprios filhos e pensei... Bem, direitos humanos, direitos da criança. Isso é para quando você está em uma situação e quer ter certeza de que haverá apoio para as crianças em sua vida."

Segundo explicou a atriz, a experiência com o casamento a fez repensar sobre os direitos para as crianças. Inclusive, disse que em certo momento, temeu pela segurança da "família inteira" durante o ex-relacionamento.

+++LEIA MAIS: Angelina Jolie e Brad Pitt brigam na justiça pela guarda dos 6 filhos após o divórcio

Logo após, Jolie foi questionada se a situação a qual se referiu era acerca das acusações de violência doméstica feitas contra Pitt em meio à batalha judicial dos dois após o divórcio. A atriz confirmou, mas disse que não poderia detalhar nada, pois continua na disputa legal pelos filhos.  

"Foi muito difícil para mim, estar em uma posição em que senti que deveria me separar do pai de meus filhos," explicou a atriz. Em sequência, disse ter sido uma experiência "horrível" e revelou ter ficado traumatizada. No entanto, afirmou que, embora tenha enfrentado a situação, queria que toda a família, "incluindo o pai", se "curasse e ficasse em paz".

+++ LEIA MAIS: Por que o divórcio com Brad Pitt fez Angelina Jolie pausar a carreira de diretora?

"Não sou o tipo de pessoa que toma decisões como as que tive que tomar levianamente. Demorou muito para eu estar em uma posição em que senti que deveria me separar do pai de meus filhos," o caso do divórcio foi encerrado em 2019, enquanto a batalha pela custódia segue no Tribunal. Juntos, os dois têm 6 filhos: Maddox, Pax, Zahara, Shiloh, Knox, e Vivienne. As informações são do The Guardian.

Mais cedo em meio à batalha judicial pela guarda dos filhos,Jolie havia entrado com documentos judiciais e disse que a família pode mostrar "provas" da violência doméstica por parte de Brad Pitt.

+++LEIA MAIS: Angelina Jolie avança em batalha judicial com Brad Pitt; entenda


Angelina Jolie recusou papel por causa de Harvey Weinstein

Angelina Jolie discutiu diversas pautas em uma entrevista longa e profunda ao The Guardian, como o fato de ter recusado um papel em O Aviador (2004), filme de Martin Scorsese, devido à presença do ex-produtor de cinema, Harvey Weinstein.

Segundo a atriz, no início da carreira, viveu uma situação desagradável com Weinstein, condenado a 23 anos de prisão por agressão sexual. Devido aos traumas da situação com o ex-produtor, a estrela de Hollywood decidiu recusar o papel no filme estrelado por Leonardo DiCaprio.

+++LEIA MAIS: Angelina Jolie recusou papel em O Aviador por causa de Harvey Weinstein: ‘Eu avisei’


+++ CONFIRA TUDO SOBRE A BANDA 5 SECONDS OF SUMMER!