Capitão América: Como era o final alternativo de Guerra Civil?

Capitão América: Guerra Civil quase teve um final diferente que faria os irmãos Russo abrirem mão da direção do filme

Mariana Rodrigues (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 30/10/2021, às 16h40

None
Chris Evans como Capitão América e Robert Downey Jr. como Homem de Ferro em Guerra Civil (Foto: Reprodução/Marvel)

Capitão América: Guerra Civil(2016) quase teve um final bem diferente, o qual reuniria todos os Vingadores novamente. No entanto, a ideia desagradou os diretores Joe e Anthony Russo, que quase desistiram do filme, como revelou o livro The Story of Marvel Studios: The Making of the Marvel Cinematic Universe. (via Screen Rant)

O filme que chegou ao público teve algumas diferenças relevantes em comparação aos quadrinhos. Em vez da Lei de Registro de Super-Heróis, introduziu os Acordos de Sokovia, o qual determinava que todos os indivíduos de habilidades aprimoradas deveriam ser regulamentados pela ONU. Tony Stark (Robert Downey Jr.) concordou com a situação, enquanto Steve Rogers (Chris Evans) não.

+++ LEIA MAIS: Eternos: Marvel não abriu ‘exceção’ para Angelina Jolie; entenda

Embora esse seja o início do conflito, a briga ficou mais pessoal ao longo da história. Homem de Ferro decidiu que era melhor acertar as coisas com Capitão América após descobrir que Bucky Barnes (Sebastian Stan) foi incriminado pelo Barão Zemo (Daniel Brühl). No entanto, a trégua durou pouco tempo, pois Tony foi confrontado com o fato de que o Soldado Invernal matou seus pais.

Além disso, Steve tinha propositalmente escondido as informações dele, o que resultou em uma luta que dividiu os Vingadores e deu uma oportunidade para Thanos (Josh Brolin) surgiu para atacar a Terra, já que os heróis se espalharam pelo planeta após o conflito.

+++ LEIA MAIS: Marvel: Qual cena de Vingadores: Ultimato fez Robert Downey Jr. chorar?

No entanto, a briga poderia ter tomado outro rumo, já que o Comitê de Criação da Marvel queria que o estúdio mudasse o fim do filme. Em vez de um desfecho com os Vingadores separados, o comitê “vetou a ideia” e “insistiu” que o estúdio reunisse a equipe no final do filme “para lutar contra o Barão Zemo e seu esquadrão de super soldados.”

O livro revelou como os irmãos Russo quase abriram mão de dirigir o filme por conta da mudança. Ao saber disso, Kevin Feige, presidente da Marvel, conversou com o então presidente da Disney,Alan Horn, sobre a situação e ele ficou do lado dos diretores. Isso permitiu aos cineastas continuarem com a ideia original e libertou o estúdio do Comitê de Criação da Marvel.

+++ LEIA MAIS: Marvel: Kevin Feige quase matou Vingadores originais em Ultimato; entenda

Além disso, caso houvesse um final diferente, impactaria diretamente no futuro do MCU. Afinal, seriam necessárias mudanças em Vingadores: Guerra Infinita (2018) e Ultimato (2019) para que a trama se encaixasse nas sequências.

Irmãos Russo na Universo Cinematográfico da Marvel

Os irmãos Russo estrearam no MCU com Capitão América: O Soldado Invernal  e conquistaram muitos fãs. Com Guerra Civil, a dupla trouxe uma questão importante sobre o Comitê Criativo da Marvel, o qual foi dissolvido eventualmente. Mais tarde, os dois foram responsáveis por grandes crossovers: Vingadores: Guerra Infinita e Vingadores: Ultimato.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Avengers (@avengers)