Casa assombrada de Invocação do Mal está à venda com fantasmas e tudo, garante dono

Proprietários querem US$ 1,2 milhão pela casa assombrada que inspirou primeiro filme de Invocação do Mal

Redação Publicado em 23/09/2021, às 17h21

None
Cena de Invocação do Mal (Foto: Divulgação)

Com relatos de eventos sobrenaturais, a casa localizada no vilarejo de Harrisville, Rhode Island (EUA) se tornou mundialmente conhecida após servir de inspiração para a franquia de terror Invocação do Mal. Há dois anos, o imóvel foi comprado por US$ 440 mil por Cory e Jennifer Heinzen, e agora o colocaram a venda pelo valor de US$ 1,2 milhão.

Os proprietários anteriores não acreditavam que a residência era assombrada. No entanto, na década de 1970, a família Perron relatou experiências angustiantes como sussurros, aparições e até mesmo uma possessão de um corpo, os quais inspiraram o primeiro filme de Invocação do Mal (2013). A filha mais velha, Andrea Perron, registrou tudo no livro House of Darkness House of Light (2011).

+++ LEIA MAIS: Halloween: filme de terror foi ‘ponto alto da carreira,’ diz Jamie Lee Curtis

Por serem investigadores paranormais - assim como Ed e Lorraine Warren - nos últimos dois anos, os Heinzens transformaram o imóvel em um ponto de encontro paranormal, onde outros investigadores podiam reservar horários durante o dia ou a noite e explorar o local por conta própria.

Embora o casal goste da casa, optaram vendê-la por problemas de saúde que não permitiram dar devida atenção ao imóvel. Por isso, querem que os novos donos mantenham as visitas para investigação paranormal que já foram marcadas, além de não realizarem outros tipos de atividades comerciais na residência.

+++ LEIA MAIS: Candyman: Conheça a origem da lenda de terror

De acordo com agência imobiliária, essa é uma das casas mal-assombradas mais conhecidas dos Estados Unidos. "Até hoje, incontáveis ​​acontecimentos foram relatados. As histórias assustadoras, incidentes e lembranças de residentes e visitantes da propriedade foram contadas em dezenas de produções da mídia, incluindo livros, filmes e programas de televisão," disse em comunicado.