Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Cinema / Polêmica

Christopher Nolan: "Hollywood precisa de franquias para outros tipos de filmes serem feitos"

Diretor defendeu o papel das franquias na indústria cinematográfica, além de descrever o cenário ideal da área em Hollywood

Redação Publicado em 27/11/2023, às 14h10

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Christopher Nolan (Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images)
Christopher Nolan (Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images)

Christopher Nolan opinou sobre as franquias em Hollywood, que alguns de seus colegas cineasta alegam estar afetando a qualidade de produções. Mas, na visão do aclamado diretor de filmes como Oppenheimer (2023), A Origem (2010) e Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008), elas são uma parte crucial do ecossistema da indústria cinematográfica.

+++ LEIA MAIS: 007: Christopher Nolan dirigirá 2 filmes de James Bond, diz rumor

Para a Associated Press (via Variety), Nolan comentou sobre a importância da originalidade na produção cinematográfica, mas também acredita na necessidade desses sucessos de bilheteria baseados em propriedades intelectuais pré-existentes.

Há sempre um equilíbrio em Hollywood entre títulos consagrados que podem garantir um retorno de audiência e dar às pessoas mais daquilo que desejam. Essa sempre foi uma grande parte da economia de Hollywood e paga para que muitos outros tipos de filmes sejam feitos e distribuídos. Um ecossistema saudável em Hollywood tem a ver com um equilíbrio entre as duas coisas e sempre foi”

+++ LEIA MAIS: Christopher Nolan responde críticas de Martin Scorsese aos filmes da Marvel

O diretor ainda reforça a ideia de que "uma das grandes emoções de ir ao cinema é, francamente, ver o trailer de um filme que você nunca ouviu falar ou de um tipo de filme que você nunca viu”. O posicionamento de Nolan contradiz a opinião de Martin Scorsese, que criticou os filmes do Universo Cinematográfico Marvel (MCU), comparando-os com parques de diversão.