Como James Gunn foi recontratado pela Marvel depois de demissão por tweets ofensivos?

Após polêmica, James Gunn foi demitido da Marvel, mas retornou ao estúdio pouco tempo depois, mesmo com novo contrato com a DC

Mariana Rodrigues (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 20/07/2021, às 20h52

None
James Gunn (Foto: Christopher Polk/Getty Images)

É difícil imaginar um filme de Guardiões da Galáxia (2014) sem a direção de James Gunn - mas isso quase aconteceu. Em 2018, após uma série de tweets do diretor com piadas sobre Holocausto, pedofilia, estupro entre outros assuntos virem à tona, Gunn perdeu o emprego na Marvel. No entanto, pouco tempo depois o estúdio repensou a decisão.

Guardiões da Galáxia foi o primeiro filme do MCU a ser ambientado completamente no espaço, uma escolha um tanto arriscada, pois não havia como saber se o público receberia bem a história. Mas a produção surpreendeu e se tornou um verdadeiro sucesso, dando origem a uma trilogia, com o último filme com estreia prevista para 2023.

+++ LEIA MAIS: James Gunn sugeriu crossover entre Marvel e DC; entenda

Quando apoiadores do ex-presidente dos EUA Donald Trump divulgaram os tweets ofensivos publicados em 2010, Gunn estava na metade do roteiro do terceiro filme dos Guardiões da Galáxia. Pouco tempo depois, recebeu a notícia do desligamento do estúdio. "Por um dia inteiro, pareceu o fim de tudo," revelou ao The New York Times

A produção do longa foi colocada em pausa e o diretor se desculpou pelas publicações. Na época, o elenco do filme se posicionou fortemente nas redes sociais a favor do diretor. Jornalistas fizeram o mesmo. Todos queriam a volta de Gunn na Marvel e, com outros diretores se recusando a continuar com o projeto, a situação se agravou.

+++ LEIA MAIS: Como live-action de Scooby-Doo mudou a vida de James Gunn? Diretor responde

Mesmo com futuro incerto na Marvel, Gunn não deixou a paixão pelas histórias de heróis de lado. Então surgiu uma nova oportunidade: dirigir um filme da DC. A mudança parecia uma jogada ousada, visto que o estúdio é o principal concorrente da Marvel. Mas com a liberdade oferecida pela DC, o diretor não hesitou em escolher trabalhar na própria versão do Esquadrão Suicida.

Com uma insistência do público e do mundo do entretenimento, a Marvel decidiu recontratar Gunn - um dia após ele fechar um contrato com a DC. "Realmente recebi a ligação de Alan Horn [presidente do Walt Disney Studios], muito antes do anunciado: aconteceu literalmente no dia seguinte que eu concordei em fazer o Esquadrão Suicida," revelou à Empire. 

+++ LEIA MAIS: James Gunn recebe ameaças diárias por matar personagens nos filmes

Com um filme da DC encaminhado e o retorno à Marvel, Gunn precisava comunicar a todos sobre o novo projeto. Então ligou para Kevin Feige, presidente do estúdio, para contar a novidade. Quando Feige ouviu sobre o Esquadrão Suicida, apenas disse, "por favor, faça um bom filme. Apenas faça um ótimo filme," como revelou Gunn.

A Marvel esperou a finalização de Esquadrão Suicida para dar continuidade a Guardiões da Galáxia Vol. 3. A nova versão do filme sobre os vilões da DC recebeu boas críticas e tem estreia prevista para 6 de agosto de 2021, enquanto Peter Quill (Chris Pratt) e sua equipe retornarão aos cinemas somente em 2023. 

+++ LEIA MAIS: 5 momentos do trailer de Esquadrão Suicida para prestar atenção [LISTA]


+++ OS 5 DISCOS ESSENCIAIS DE BOB DYLAN | ROLLING STONE BRASIL