Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Cinema / Cachorros no cinema

Como Messi, cão de 'Anatomia de uma Queda', foi treinado para parecer morto

Messi, um Border Collie, recebeu o prêmio Palm Dog pelo papel em 'Anatomia de uma Queda'

Redação Publicado em 21/02/2024, às 17h38

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Cena de 'Anatomia de uma Queda' (Foto: Reprodução)
Cena de 'Anatomia de uma Queda' (Foto: Reprodução)

No cinema, há espaço para todo mundo, inclusive cachorros. Messi, um Border Collie, recebeu o prêmio Palm Dog pelo papel em Anatomia de uma Queda.

Snoop, interpretado por Messi, é companheiro de Daniel, vivido por Milo Machado Graner, um adolescente com deficiência visual cuja mãe é acusada de assassinato.

A diretora Justine Triet e a equipe do longa-metragem indicado ao Oscar exigiu que o cachorro responsável pelo papel de Snoop fingisse estar morto, habilidade que Messi já dominava.

"O que precisávamos trabalhar o tempo todo era como conseguir carregá-lo e fazer com que ele permanecesse atuando, agindo como se estivesse inerte”, disse Laura Martin Contini, tutora de Messi, em entrevista à Variety.

“Isso foi algo que acrescentei ao longo do tempo, trabalhando todos os dias. Tudo começou na cama, e foi a quantidade de perturbação que esse cachorro seria capaz de suportar enquanto permanecesse mole”, explicou Contini.

A dona de Messi também precisou treiná-lo para se acostumar com os gritos e a correria dos outros atores. “A maior parte da preparação foi muito intensa nos dois meses anteriores”, lembrou Contini, que assistiu a muitos vídeos sobre o treinamento de cães de serviço para crianças com deficiência visual.

“Encontrei Messi meses antes das filmagens, várias vezes”, afirmou Graner. “Nós dois praticamos separadamente e devo dizer que ele conseguiu simular muito bem a letargia.”

Para a cena em que Snoop fica catatônico, com a língua para fora em angústia após ingerir diversos comprimidos de aspirina, Contini submeteu Messi a uma sessão de jogo com sua bola favorita. Depois de brincar, a tutora sabia que o cachorro ficaria com a língua para fora.

“Estou com um pouco de medo de que ele seja rotulado em papéis em que terá que morrer”, revelou Contini. “Esses são os tipos de papéis que estamos sendo solicitados a fazer agora.”