Coringa: Andrew Garfield jamais interpretaria vilão por motivo inusitado; entenda

Coringa é um dos personagens mais icônicos do cinema - mas Andrew Garfield 'não quer passar perto' do papel do vilão

Vitória Campos (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 13/01/2022, às 17h49

None
Andrew Garfield (Foto: Rodin Eckenroth/Getty Images) e Joaquin Phoenix como Coringa (Foto: Divulgação)

Arqui-inimigo mais popular de Batman, o Coringa já foi interpretado por diversos atores ao longo dos anos. Em entrevista à GQ,Andrew Garfield, quem deu vida ao Homem-Aranha, revelou que jamais interpretaria o vilão nas telonas devido a um motivo surpreendente. 

O ator revelou que “não chegaria nem perto” do papel do Coringa, pois não conseguiria superar o legado deixado pelos intérpretes do vilão, como Jack Nicholson, Heath Ledger e, mais recentemente, Joaquin Phoenix

+++ LEIA MAIS: Coringa: O que Joaquin Phoenix pensa sobre sequência do filme?

Ao ser questionado se aceitaria o papel, Garfield respondeu: “Não. De jeito nenhum, eu não chegaria perto disso. Não chegaria perto. Mas, doce de sua parte pensar que é possível, mas eu não acho que eu poderia fazer isso por causa do que Heath [Ledger] fez, o que Jack Nicholson fez e, claro, Joaquin [Phoenix] fez, sua própria coisa genial.”

Sem dúvidas, aceitar interpretar o Coringa é um grande risco na carreira de qualquer ator, pois necessita de uma atuação extremamente complexa, além de frequentemente sofrer comparações com outros atores. Pensando nisso, Andrew Garfield decidiu ficar bem longe de correr esse risco.

+++ LEIA MAIS: Joaquin Phoenix: 6 filmes icônicos do ator; Coringa, Ela e mais [LISTA]


Mais sobre Coringa (2019)

Coringa(2019), filme da DC, foi responsável por render a Phoenix o Oscarde Melhor Ator. A produção foi destaque no cinema pela maneira original de abordar a história de Arthur Fleck, comediante de stand-up fracassado que, ao ser levado à loucura, provoca o caos em Gotham City. Além disso, o longa de Todd Philips ganhou o Leão de Ouro no Festival de Veneza em 2019.