Daniel Craig 'sentirá falta' de James Bond após Sem Tempo Para Morrer: 'Tive o privilégio de me envolver'

Craig dá adeus ao memorável papel de James Bond - e revelou que sentirá falta de viver o agente

Redação Publicado em 05/10/2021, às 15h38

None
Daniel Craig (Foto: Gareth Cattermole / Getty Images)

Não será apenas o público que sentirá falta de Daniel Craig como James Bond nos filmes do 007. Em recente entrevista ao Entertainment Weekly, o astro falou sobre como o papel foi importante para a carreira dele e, certamente, deixará saudades. 

Craig, quem se despede do papel em 007: Sem Tempo Para Morrer, afirmou: "Eu vou perder tudo, eu acho. Sentirei falta da colaboração. Quero dizer, espero continuar trabalhando e terei muitos outros trabalhos adoráveis, mas é um ar muito, muito, muito raro. Além dos filmes da Marvel, não há filmes tão grandes quanto este." O astro ainda concluiu:

+++ LEIA MAIS: 007: Tudo que você precisa lembrar antes de assistir Sem Tempo Para Morrer

Tive o privilégio de me envolver nisso. Estava lá antes de mim, e estará lá depois de mim. Mas eu tive a chance de fazer parte de tudo isso, e se você não pode levantar um filme do Bond como ator, o que você pode? Então, sim, vou sentir muita falta.

007: Sem Tempo Para Morrer

Dirigido por Cary Joji Fukunaga e escrito por Phoebe Waller-Bridge, 007: Sem Tempo Para Morrer chegou aos cinemas no dia 30 de setembro. O filme marca a despedida oficial de Daniel Craig da incrível franquia, e o adeus ao espião James Bond, o qual o astro interpretou pela primeira vez em Casino Royale (2006). 

No último filme com Craig, James Bond é um agente aposentado. Contudo, a paz da vida de aposentadoria logo acaba quando o velho amigo Felix Leiter (Jeffrey Wright) pede ajuda em uma nova missão. 

+++ LEIA MAIS: 007: Ben Whishaw quer ator gay no papel de James Bond

Craig deixou um recado ao próximo Bond. Em entrevista ao programa Movies With Ali Plumb da BBC Radio 1, o astro declarou: "Não faça merda! Só quero ter certeza de que o deixei em um lugar tão bom quanto o encontrei. E é tudo o que me importa, faz parte da história do cinema."